Fale Conosco

30 de abril de 2014

Sejel participa de reunião do Conselho Estadual de Juventude



O Conselho Estadual de Juventude da Paraíba (Cejup) realizou mais uma reunião ordinária nesta quarta-feira (30), no auditório do Hospital de Urgência, Emergência e Trauma, em Campina Grande. Durante o encontro estiveram presentes representantes de todas as regiões do Estado, além da secretária nacional de Juventude, Ângela Guimarães, e na pauta foram discutidas as estratégias para o fortalecimento e ampliação dos conselhos de juventude no Estado e a implantação do Sistema Nacional de Juventude (Sinajuve) na Paraíba.

De acordo com Joana Darck Ribeiro, gerente de Juventude da Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) e vice-presidente do Cejup, a reunião fortaleceu a proposta do Governo para descentralizar as ações e garantiu o debate sobre o fortalecimento e a importância do próprio conselho em âmbito estadual, além de dar seguimento nas discussões sobre o Sinajuve dentro da Paraíba. “Foi uma reunião proveitosa, na qual os encaminhamentos das pautas importantes foram feitos. Tudo isso com o intuito da juventude paraibana avançar no fortalecimento de políticas públicas efetivas para o seguimento”, afirma Joana.

O secretário de Juventude, Esporte e Lazer, Tibério Limeira, reafirmou o compromisso do Governo do Estado no trabalho voltado para os jovens. “O trabalho do Governo na pasta da Sejel não se limita apenas ao esporte e lazer, pois as reivindicações para a melhoria da juventude paraibana estão sendo atendidas. É importante destacar todo o trabalho que a gerência de juventude realiza em parceria com o Cejup, pois mostra que ações executadas são para o bem do jovem paraibano”, disse.

Reativado no dia 15 de julho de 2013 pelo Governo do Estado por meio da Sejel, o Cejup tem como função a fiscalização das ações implantadas pela Sejel e Governo Estadual para o seguimento da juventude, assim como a formulação e proposição de novas políticas e diretrizes a serem estabelecidas. O conselho é formado por representantes da sociedade civil e agentes governamentais cuja formação atual responderá por um mandato de dois anos.