Fale Conosco

9 de setembro de 2013

Seis açudes monitorados pela Aesa na Paraíba estão sangrando



O açude Gramame-Mamuaba, que já havia transbordado no início do mês passado, voltou a sangrar na madrugada desta segunda-feira (9). Além desse, que fica localizado na cidade do Conde e que tem capacidade para quase 57 milhões de metros cúbicos, outros cinco reservatórios monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa) estão sangrando: Araçagi (no município de mesmo nome), São Salvador (Sapé), Jangada (Mamanguape), Olho d’água (Mari) e Suspiro (Serra da Raiz).

É importante lembrar que esta realidade de açudes sangrando é vivenciada na região do Litoral, onde a chuva chegou com mais força. Em alguns casos, tivemos recargas em reservatórios do Brejo, mas foram de pequena intensidade. E nas demais regiões não tivemos registros de chuvas significativas”, alertou o gerente de Monitoramento e Hidrometria da Aesa, Lucílio Vieira.

Dos 123 açudes monitorados pela Aesa, 64 estão com capacidade armazenada superior a 20% do volume total, 33 encontram-se em estado de observação (menos de 20%) e 20 reservatórios em situação crítica (menos de 5%), além dos seis que estão sangrando.

Boqueirão – Diretores da Aesa estão em Brasília cumprindo agenda de compromissos na sede da Agência Nacional das Águas (ANA). Os encontros que acontecem nesta segunda (9) e terça-feira (10) são pautados pelo gerenciamento racional dos recursos hídricos estaduais.

Temos uma lista extensa de assuntos entre os quais podemos destacar a situação do açude Epitácio Pessoa, que atende Campina Grande e cidades circunvizinhas. Além disso, temos o Engenheiro Ávidos, São Gonçalo e o Sistema Interestadual Integrado Piancó-Piranhas-Açu, que estão na pauta. Queremos melhorar o aproveitamento dessa água que vai desde a barragem de Coremas, atende 22 sistemas na Paraíba e ainda abastece o Rio Grande do Norte”, explicou o presidente da Aesa, João Vicente Machado Sobrinho.

Chuvas – A capital paraibana foi a cidade onde mais choveu este mês no Estado. O acumulado nos primeiros nove dias de setembro já é de 180 mm, mais que o dobro da média histórica de João Pessoa nesta época do ano. Para a tarde e noite desta segunda-feira (9), a previsão é de que o aumento da nebulosidade favoreça a ocorrência de chuvas. “De hoje para amanhã, as cidades do Litoral, Brejo e Agreste podem ter precipitações fracas. Não há perspectiva de chuvas mais relevantes nas próximas 24 horas”, informou a meteorologista Carmem Becker.