Fale Conosco

10 de junho de 2009

Segurança monta esquema para prender chefes do tráfico de drogas



As mortes por homicídios que vêm acontecendo na Grande João Pessoa, principalmente nos últimos 15 dias, estão acontecendo em função da disputa de espaço pelo tráfico de drogas, segundo afirmou o secretário da Segurança e Defesa Social, Gustavo Gominho, em entrevista na sede da Secretaria, no Bairro de Mangabeira, em João Pessoa. Segundo ele, uma ação policial para chegar aos responsáveis pelos pontos de drogas está sendo montada.

Durante a manhã, o secretário Gustavo Gominho, o comandante geral da PM, coronel Marcos Antonio Jacome Soares de Carvalho; o delegado geral de Polícia Civil, Canrobert Rodrigues, e outras autoridades discutiram a criação de um sistema único de segurança pública, com uma só Corregedoria; a integração dos órgãos de inteligência do setor e uma Ouvidoria Policial.

Também ficou definido que em breve vai acontecer uma série de blitz na Grande João Pessoa, começando pelos bairros onde residem a classe alta, no litoral, e se estendendo pela periferia. “Pedimos a compreensão da população, pois essa ação é imprescindível neste momento”, comentou.

Durante a entrevista, o secretário informou que não procedem as informações de que uma família estaria sendo forçada a deixar o Bairro do Renascer, devido a ameaças de traficantes, como foi divulgado pela imprensa. Procurada pela polícia, a família não formulou denúncia nem revelou os nomes dos acusados. O caso foi encaminhado à Secretaria de Ação Social da Prefeitura de Cabedelo, e as pessoas estão sob os cuidados do Conselho Tutelar.

O secretário Gustavo Gominho explicou que a atitude da família torna impossível fazer qualquer tipo de diligência. Mesmo assim, determinou que fossem realizadas investigações na área, inclusive com a colaboração da Polícia Federal, para tentar chegar aos possíveis ameaçadores.  “A família se recusa a falar. Por isso, fica difícil uma atuação no caso. Mesmo assim, a Delegacia de Repressão e Entorpecentes está fazendo investigações”, disse.

O secretário disse que todos estão atentos aos casos de homicídios que vem acontecendo na Grande João Pessoa, principalmente porque 90% estão ligados ao tráfico de drogas, disputa de territórios entre traficantes. “Uma coisa nova na Paraíba”, disse.

Usando dados do 1º Batalhão da Policia Militar, o secretário informou que entre 1º de março a 31 de maio deste ano foram realizadas 256 blitz, com 590 pessoas abordadas e vistoria a 149 ônibus, aplicadas 932 multas, 825 veículos vistoriados, 239 bares visitados e 42 pessoas presas por porte ilegal de armas.

José Nunes, com fotos de Ernane Gomes, da Secom-PB