Fale Conosco

24 de agosto de 2012

Segurança garante policiamento na 11ª Parada LGBT



A presença das polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros irá assegurar a tranquilidade de quem for participar ou conferir a 11ª Parada do Orgulho e da Cidadania LGBT, realizada neste domingo (26), nas orlas das praias de Cabo Branco e Tambaú, em João Pessoa. Um público estimado em 20 mil pessoas deverá participar do evento, de acordo com o Movimento do Espírito Lilás (Me

Segundo o gerente metropolitano de Polícia Civil, delegado Wagner Dorta,  além da equipe da Delegacia contra Crimes Homofóbicos da Capital, que estará presente no local do evento, haverá o reforço de todos os plantões, inclusive o da 12ª Delegacia Distrital, do qual faz parte o Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp), no bairro de Manaíra.

A Polícia Militar também garantiu o reforço do policiamento na área com 20 homens da Companhia Especializada de Atendimento ao Turista (Ceatur), 20 policiais da Ajudância Geral  e 50 do Centro de Educação, além dos que já estão escalados para o dia. “Esses policiciais farão o trabalho a pé, e contarão ainda com a presença de seis conjuntos de cavalaria e três viaturas como suplemento”, explicou o comandante do policiamento metropolitano, tentente coronel Jefferson Pereira.

Já os bombeiros militares ficarão responsáveis por oferecer aos participantes do evento serviço de atendimento pré-hospitalar, com três viaturas, sendo uma autotática de emergência (ATE) e duas autorresgate (AR).

Delegacia especializada -  A Paraíba está entre os três estados do Brasil que têm delegacias especializadas no atendimento ao público LGBT. A Delegacia contra Crimes Homofóbicos (DCCH) foi criada em julho de 2009 e está localizada na rua Francisca Moura, nº 36, bairro do Centro, Capital. O objetivo da DCCH é apurar os crimes que tenham vítimas homossexuais, com foco na diversidade, no combate à discriminação e promoção da cidadania de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.

De acordo com a delegada Desirée Vasconcelos, a DCCH proporciona um espaço equipado, com equipe especializada e preparada para acolher os cidadãos de forma humanizada, igualitária e universal. A autoridade policial ainda destacou a existência da Lei Estadual nº 7.309 de 10 de janeiro de 2003, cujo conteúdo proíbe a discriminação em virtude de orientação sexual.