Fale Conosco

10 de setembro de 2009

Segurança discute implantação de Polícia Comunitária em Santa Rita



Representantes da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (SEDS) se reuniram com moradores de Santa Rita, na noite da quarta-feira (9), para debater a implantação da Polícia Comunitária naquela cidade, particularmente no bairro de Marcos Moura. O encontro ocorreu na Secretaria de Educação do município.

De acordo com o comandante do 7º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Israel de Oliveira, que representou o titular da SEDS, secretário Gustavo Ferraz Gominho, o encontro foi o terceiro realizado com esse objetivo. “É importante que as decisões não sejam tomadas de cima para baixo, sem levar em conta os anseios da comunidade. Nessas oportunidades, a sociedade se organiza para ajudar a Polícia Militar a resolver os problemas ligados à segurança”, explicou o oficial.

Ainda segundo ele, o projeto de Polícia Comunitária é embrionário e será iniciado no bairro de Marcos Moura devido ao alto índice de ocorrências registrado no local, uma das áreas mais violentas de Santa Rita. “Para combater essa realidade, vamos desenvolver junto com a sociedade, trabalhos de combate à ociosidade dos jovens, retirando-os de situações de risco e os encaminhando para atividades que a própria comunidade esteja desenvolvendo”, frisou, acrescentando que o foco da polícia será a ação preventiva, canalizadora.

Além do tenente-coronel Israel e outros policiais militares da cidade, participaram das discussões representantes da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), da Associação de Apoio ao Trabalho Cultural, Histórico e Ambiental de Lucena, do Centro de Defesa Popular de Nova Trindade e da Associação de Moradores de Marcos Moura, entre outros.

O 7º Batalhão de Polícia Militar conta hoje com 163 policiais e abrange as cidades de Santa Rita, Cruz do Espírito Santo e Lucena.

Adryana Araújo, da Secretaria da Segurança e da Defesa Social