Fale Conosco

12 de maio de 2009

Segurança determina rigor para esclarecer ação de ‘falsos policiais’



Duas ações imediatas determinadas pelo Secretário da Segurança e da Defesa Social, Gustavo Gominho, vão esclarecer o envolvimento de “falsos policiais” em Juazeirinho: a instauração de um inquérito policial e uma minuciosa investigação pela Corregedoria Geral de Polícia.

“A sociedade precisa saber se há envolvimento de policiais deste ou de outros Estados e se a ação foi promovida por falsários”, disse o secretário, ao acionar as instituições policiais civil e militar, através de suas direções e comandos, exigindo rigor para esclarecer os fatos.

De acordo com as informações, 12 policiais ou falsos policiais, entre eles uma mulher, com fardas da PM, invadiram as residências de José Rinaldo de Medeiros e Alexandre Ramos Morais, em Juazeirinho, na madrugada da  sexta-feira para o sábado (10).

Além da invasão, as 12 pessoas usando fardas da PM e se identificando como policiais do vizinho Estado de Pernambuco, promoveram sessões de tortura a fim de que as vítimas entregassem 100 mil reais e uma caminhonete Hilux que haviam sido tomados por assalto de uma fábrica de velas, naquela região.

O inquérito policial já foi instaurado e será presidido pelo delegado Kelson de Mendonça Vasconcelos, com a participação do delegado Everaldo Barbosa de Medeiros, do município de Soledade, que recebeu a ocorrência. As vítimas já fizeram os exames de corpo de delito e as investigações são no sentido de identificar os autores e indicar responsabilidades.

Não satisfeito com a apuração na área criminal, o secretário quer que a Corregedoria Geral apure, em toda a sua extensão, o envolvimento de policiais. O corregedor geral, Magnaldo José Nicolau da Costa, aguarda o encaminhamento do trabalho da Ouvidoria da Secretaria de Segurança, que concluiu na noite de segunda-feira (11) o interrogatório às vítimas.