Fale Conosco

28 de fevereiro de 2013

Secult reúne gestores de cultura para construir ações conjuntas



Os gestores dos órgãos de Cultura da Capital e do Estado se reuniram na tarde dessa quarta-feira (27), na Secretaria de Estado da Cultura, com o objetivo de estabelecer pontos comuns para a colaboração entre as gestões, com vistas à construção de ações conjuntas.

“Foi um encontro muito importante, pois percebemos que a atual gestão cultural do município pretende dar continuidade a ações iniciadas quando o governador Ricardo Coutinho era prefeito da Capital”, disse o secretário de Estado de Cultura, Chico César. “Isso é muito bom porque serão retomadas políticas que foram temporariamente deixadas de lado e que beneficiarão não apenas João Pessoa, mas têm alcance positivo para todo o Estado”, completou.

Participaram da reunião o secretário Chico César; a secretária executiva da Cultura, Amazile Vieira; o diretor executivo da Funjope, Maurício Burity; Fernando Milanez, da Coordenadoria do Patrimônio Cultural de João Pessoa; Rui Leitão, coordenador do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) municipal, e João Paulo, representante do PAC estadual.

Curso de Gestão Cultural – Também nessa quarta-feira (27), o secretário Chico César reuniu-se com a coordenadora geral de Articulação e Integração de Ações da SAI/MinC, Ângela Andrade. No encontro, foram estabelecidas parcerias e metodologias para a implementação do Curso de Extensão em Gestão Cultural. Participou ainda a coordenadora técnica do curso, Alice Monteiro.

Ângela Andrade permanece na Paraíba até este sábado (2), cumprindo vasta agenda de reuniões com professores da UFCG e UFPB, universidades parceiras na implementação do projeto.

“Nós conseguimos incluir na Constituição Federal a existência do Sistema Nacional de Cultura, como condição de diálogo entre os três entes, estabelecendo um pacto federativo. A partir de dezembro, é como se fosse a certidão de nascimento da política institucional de cultura no Brasil. Para que esse sistema todo funcione é preciso termos gestores capacitados, que compreendam como esse diálogo se faz, compreendam a importância de ter um conselho participativo da sociedade civil, a importância de ter um Plano Municipal de Cultura, também construído junto à sociedade civil, e tantas outras ações para implementarmos uma política efetiva de cultura”, explicou.

O curso, elaborado pela Secult-PB, terá um investimento de R$ 791.760,20 e será realizado através de encontros presenciais (136 horas) e Ensino à Distância (70 horas), possibilitando uma abrangência em todo o Estado da Paraíba, totalizando 206 horas/aula.