Fale Conosco

11 de junho de 2013

Secretários de cultura do Nordeste se reúnem em Recife nesta terça-feira



O Secretário de Estado da Cultura, Chico César, convocou reunião extraordinária do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura (Região Nordeste), para o qual foi eleito vice-presidente em março de 2013. A reunião acontecerá ao longo de todo o dia, em Recife (PE), na Agência de Empreendedorismo, na Rua da União, 239, 1º andar, Bairro da Boa Vista, reunindo secretários de todos os estados.

O Fórum tem por finalidade possibilitar a participação e atuação dos estados na formulação de diretrizes culturais, debatendo as características de cada região e promovendo intercâmbios artístico-culturais e entre as políticas públicas desenvolvidas pelos estados. Atualmente, é presidido pelo Secretário de Cultura do Distrito Federal, Hamilton Pereira da Silva, possuindo vice-presidentes representantes das demais regiões do país.

Para Chico César, o Fórum tem uma importância estratégica, pois vem para “discutir de um ponto de vista geopolítico próprio as questões nordestinas, mas também questões nacionais. E buscar propostas, soluções que nos atendam de modo mais imediato.” Segundo o Secretário, a articulação dos estados nordestinos é de grande relevância para o fortalecimento da região diante das políticas construídas em âmbito nacional. “A questão regional no Brasil, por ser um pais tão grande e tão rico, é muito importante. A distribuição de recursos e investimentos por parte do governo federal a partir de uma visão geopolítica regional também é uma questão que nos interessa profundamente. Porque isso se trata de corrigir uma injustiça histórica a uma região que tem dado uma contribuição muito grande a cultura do país”, conclui.

A reunião terá abertura a partir das 9h, com a fala oficial de Chico César. Pela manhã, três pautas serão debatidas. As discussões iniciarão sob o tema das atuais condições de circulação de bens culturais entre os estados do Nordeste, com o objetivo de identificar as dificuldades e potencialidades para o intercâmbio entre estados. Em seguida, Eloisa da Silva Galdino, Secretária de Estado da Cultura de Sergipe, apresentará a proposta do Encontro Nordestino de Cultura, espaço que servirá para o amadurecimento e troca entre as políticas públicas desenvolvidas na região. Finalizando a primeira etapa da reunião, os secretários debaterão os preparativos e ações conjuntas para a Copa do Mundo de 2014 no Nordeste.

À tarde, a reunião é retomada às 14h, com repasses sobre o Fundo Nacional de Cultura para estados e municípios, com exposição de Marcelo Pedrosa, Secretário de Articulação Institucional do MinC, e Osvaldo Viégas, Secretário de Estado da Cultura de Alagoas. Em seguida, serão apresentados os resultados do Curso de Gestão Cultural promovido pela Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), sob apresentação de Fernando José Freire (Presidente da Fundaj), Silvana Meireles (Diretora da Fundaj), Marcelo Pedrosa (SAI/MinC) e Paulo Miguez (Universidade Federal da Bahia).

À noite, a partir das 20h, os secretários e dirigentes de todo o Nordeste prestigiarão a abertura da Mostra Nordeste de Artes Visuais, exposição coletiva que reúne artistas plásticos das nove cidades nordestinas. A exposição ocorre de 11 a 30 de junho, no Museu Murilo La Greca – Rua Leonardo Bezerra Cavalcante, nº 366, Parnamirim, Recife/PE. A exposição tem acesso gratuito e conta com a curadoria do professor do Mestrado em Artes Visuais da UFPE e UFPB, José Rufino. A iniciativa tem o objetivo de incentivar a circulação de produções e aumentar o intercâmbio cultural entre artistas, público e entidades voltadas ao setor.

Mostra Nordeste de Artes Plásticas - De acordo com José Rufino, o elo que une os nomes selecionados é um paradoxo artístico: eles possuem em comum o fato de serem nordestinos, ao mesmo tempo em que suas produções não se limitam às questões regionais. “A mostra possui um direcionamento semelhante ao ambiente globalizado em que vivemos. Comparando com as décadas anteriores, possuímos um cenário mais prolífico graças à tecnologia atual, que permitiu uma maior interação entre artistas, público e pesquisadores.”, afirma.

Para José Rufino, os três pilares que fortalecem a produção contemporânea são: contatos, referências artísticas e conceituais, além de uma produção constante. Estes fatores contribuem para que novas obras cheguem aos olhares dos curadores. “As criações precisam circular, por que arte é movimento. E neste aspecto, o Nordeste segue a sua trajetória em alta velocidade. O que estamos trazendo é uma chance para o público não perder de vista o que está sendo produzido atualmente”, conclui.

Fundo Nacional de Cultura- Entre as pautas a serem discutidas na Reunião, estará o repasse do Fundo Nacional de Cultura para os estados e municípios que aderiram ao Sistema Nacional de Cultura. Segundo Chico César, “vamos levar um debate de repasses imediatos do Fundo Nacional de Cultura para estados e municípios que já estão em processo de criação ou que já criaram seus sistemas de cultura. Porque isso tira os entes participantes de um certo imobilismo, isso de depender de um momento em que o sistema já esteja implementado. O sistema precisa de recursos, inclusive, para ser criado. E se há entes que estão com seus sistemas avançados, que já fizeram conferências e já tem seus conselhos paritários criados, porque não esses estados e municípios já receberem seus devidos recursos? É essa proposta que vamos discutir com o secretário Marcelo pedrosa”.