João Pessoa
Feed de Notícias

Secretário quer criar novos roteiros turísticos e interiorizar empresas

quarta-feira, 21 de abril de 2010 - 10:29 - Fotos: 
O novo titular da Secretaria de Estado do Turismo e do Desenvolvimento Econômico (SETDE), Diego Tavares, disse que o órgão pretende criar seis grandes roteiros turísticos na Paraíba, interiorizar empresas e fortalecer os programas de Artesanato e Mineração, como forma de aumentar a renda, principalmente dos pequenos produtores e melhorar a qualidade de vida no interior.

Em entrevista a uma emissora de televisão de João Pessoa, o secretário iniciou dizendo que “na verdade, o que aconteceu foi uma estagnação no setor turístico. Com o Governo Lula, acontece uma maior evolução no turismo do Brasil, uma vez que passamos a ter um ministério dedicado exclusivamente ao setor, quando antigamente era voltado mais para festas. Com o Ministério passou-se a dar uma maior atenção ao setor, de forma mais profissional”.

Segundo ele, com o Ministério passou-se a um processo de regionalização e criou-se a chamada instância de governança, uma espécie de conselho de secretários, de prefeitos da região, junto com a sociedade civil organizada em suas entidades para, a partir daí, “passar a fomentar o setor através de uma maior divulgação e formação dos roteiros, que enfrentam deficiências, pois nem todos possuem início, meio e fim”.

Roteiros – Sobre o roteiro João Pessoa disse que “tem vários atrativos, mas precisa ter início, meio e fim: onde o turista se hospedar, onde comprar e se alimentar. Às vezes não podemos fazer um roteiro no Centro Histórico, se não houver onde se alimentar nem comprar. Por esse motivo acho que ainda é um pouco deficiente”.

Como bom exemplo destacou “o roteiro de sol e mar, que vai de Cabedelo até o Litoral Sul, é extremamente importante e onde se destaca o município do Conde em plena evolução, com o trabalho da Prefeitura, através da sua Secretaria de Turismo”.

Na sua avaliação, um exemplo bem claro de que o turismo pode chegar ao interior com sucesso é o caso do Circuito do Frio, iniciado com cinco municípios e que deve ir para sete em 2011. “A programação começa em junho e vai até agosto, com a visita de milhares de turistas, que deixam dinheiro lá, geram emprego e renda e melhoram a qualidade de vida do povo”, lembrou.

Garante que uma de suas metas “é dividir a Paraíba em cinco ou seis roteiros no Cariri, Brejo, Agreste, Sertão e Litoral de forma integrada e sustentável, em parceria com os municípios e o Governo Federal. Podemos ter roteiros de aventura, religioso, sol e praia e ecoturismo e por aí vamos caminhando para obter uma maior divulgação em âmbito nacional e atrair um número cada vez maior de turistas”.

Centro de Convenções – Sobre esse equipamento que o Governo do Estado constrói no Pólo Cabo Branco, na Capital, disse ser “de extrema importância porque vai mudar a face do turismo da chamada baixa estação, na Grande João Pessoa, com a vinda dos turistas de negócios para os grandes eventos, garantindo milhares de empregos”.

Indústria – Em relação ao setor industrial, afirmou que já vinha sendo feito um trabalho importante pelo ex-secretário Edivaldo Nóbrega, que atraiu várias fábricas e outros tipos de empresas, inclusive do Sul e Sudeste, “mas temos um desafio que é descobrir quais são os tipos de indústrias que não temos, pois a Paraíba tem capacidade de desenvolver e descobrir os empresários”.

Ele acha importante buscar em outras regiões e até no exterior, na Europa por exemplo, pessoas que queiram investir no nosso Estado, montando empresas para produzir o que elas desejam e levar para as suas fontes de venda. “Esse é um entre tantos desafios, onde também entra a necessidade de interiorizar as nossas indústrias e grandes empresas do comércio e serviços”, observou.

Artesanato – A respeito ao apoio ao setor de artesanato, o secretário Diego Tavares declarou que a Paraíba tem “uma potencialidade muito grande nesse setor que está incluído no turismo, no comércio e é uma fonte de micro crédito fora do comum. De forma que vamos continuar o trabalho importantíssimo feito através do Programa Paraibano de Artesanato, ligado a nossa Secretaria, que tem dando orgulho e segurança aos artesãos”.

Mineração – Quanto ao setor mineral, o secretário acha que “é o nosso grande desafio, já que temos de implantar e fortalecer o Promin (Programa de Desenvolvimento da Mineração Paraibana), que possui ações voltadas para capacitação e consultorias, extensão mineral, acesso a mercados e, principalmente, a melhoria das condições de trabalho nos garimpos, impedindo que haja acidentes, inclusive com a morte de garimpeiros. Para tanto, estamos aplicando R$ 1,7 milhão, inclusive em parcerias com várias cooperativas de pequenos mineradores no Cariri, Curimataú e Seridó”.

Ele lembrou que recentemente o governador José Maranhão “adotou uma medida importantíssima que foi a redução do ICMS cobrado dos mineradores, de 17% para 4%. Com isso, teremos a legalização das minas clandestinas e o aumento na arrecadação do tributo que antes praticamente não existia, já que nosso minério era enviado clandestinamente para Estados vizinhos, como forma de fugir da alta tributação”.

Edson Verber, da Assessoria de Imprensa da SETDE