João Pessoa
Feed de Notícias

Secretário discute em Brasília temas relevantes para o setor agropecuário da Paraíba

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018 - 17:18 - Fotos:  Divulgação

O secretário de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Rômulo Montenegro, se reuniu, na manhã desta quarta-feira  (31),  em Brasília, com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, com quem discutiu assuntos como manutenção da taxação do etanol importado e o financiamento da defesa agropecuária. O deputado federal Efraim Filho participou da audiência.

Com relação ao etanol, o ministro Blairo Maggi informou que montará um grupo de trabalho para levantar a necessidade da manutenção da alíquota de importação no percentual de 20%, bem como a exigência para empresa importadora de manter o estoque mínimo em 25% de sua capacidade de armazenamento.

O secretário  Rômulo  Montenegro,  que também é vice-presidente do Conselho Nacional de Secretários da Agricultura, disse que o tema deve ser discutido e as soluções devem ser imediatas. “A retirada da alíquota e o tratamento desigual com o produtor nacional de etanol em relação à exigência de estoque mínimo é submeter o setor à falência iminente”, observou.

Já em relação  ao financiamento da Defesa Agropecuária, o secretário defendeu o imediato desembolso dos recursos contingenciados pelo Governo Federal, pois desde 2013 a Paraíba não recebe nenhum valor para investimentos e nem mesmo para custeio das atividades e ações ordinárias da defesa animal, vegetal e serviço de inspeção.

Rômulo também falou sobre o peso para os estados com os referidos temas. “Os estados  federados não têm como permanecer bancando, exclusivamente, a defesa agropecuária enquanto o governo federal posa de grande tocador da sanidade animal, vegetal e da inspeção”, disse. Esclareceu também os benefícios que o Estado teve com a conquista de área livre da febre Aftosa.”A Paraíba conquistou a certificação internacional de área livre da aftosa e isto potencializou as vendas dos produtos de origem animal e vegetal no mercado interno e externo, pois demonstra a idoneidade do serviço de defesa do estado”, comentou o secretário.