João Pessoa
Feed de Notícias

Secretário destaca etapas da conquista de certificação internacional

sexta-feira, 30 de maio de 2014 - 16:38 - Fotos: 

A Paraíba acabou de ingressar no rol dos Estados brasileiros que compõem a zona livre de aftosa com a conquista do Certificado Internacional concedido pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), instituição que integra 179 países e tem sede em Paris. Anteriormente a este reconhecimento, o Estado era considerado zona de risco e isto prejudicava a qualificação dos produtos de origem animal produzidos em território paraibano.

O secretário executivo da Agropecuária e da Pesca, Rômulo Montenegro, representou o governador Ricardo Coutinho na solenidade de entrega do certificado, em Paris, na França, que teve as presenças do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Neri Geller; do embaixador do Brasil na França, José Mauricio Bustani; do diretor geral da OIE, Bernard Vallat.

Para alcançar esta certificação a Paraíba, a partir de 2011, estabeleceu como meta o cumprimento dos planos de ação estabelecidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Montenegro destaca que foram necessárias oito ações essenciais, sendo que a primeira a atualização e reorganização do seu cadastro. A base de dados do cadastro da defesa agropecuária era de 2007, ou seja, encontrava-se totalmente desatualizada, e com o apoio da Emater, que foi a campo em busca de criadores, propriedade e rebanho, atualizou os seus dados. “A partir daí, as campanhas de vacinação passaram a ser realizadas à base de um cadastro absolutamente real e verdadeiro”, contou. Os índices vacinais, desde a atualização do cadastro ainda em 2011, foram sempre em escala ascendente até culminar em 2013 com o atingimento da meta fixada pelo Mapa.

O outro ponto foi que, a partir do cadastro atualizado, ficou muito mais fácil detectar os produtores inadimplentes e buscá-los para realizar vacinações assistidas, compulsórias e aplicar sanções em decorrência das suas inadimplências. “Ou seja, além de avançarmos nos índices vacinais, aumentou-se, substancialmente, a busca por inadimplentes, a lavratura de autos de infração e multa por inadimplência”, explicou.

O secretário destaca ainda que, com o cadastro atualizado, cresceu a emissão de Guias de Transporte de Animais (GTAs). Estas guias, que anteriormente eram emitidas de forma manual e desordenada, passaram a ser emitidas pela via da informática, o que aumentou em muito a eficiência do controle de trânsito de animais. Foi adquirido um programa de computador (SIAPEC) que contempla todas as ações mais importantes de controle e monitoramento do rebanho no Estado da Paraíba interligado com o Mapa, o que permite a emissão de diversos relatórios instantaneamente.

A nomeação de pessoal de nível médio e superior a partir de um treinamento que compôs uma das etapas do concurso, treinando-os para lidar com o novo sistema e com o programa, de forma a repassar para os órgãos de auditagem interna e externa no mais curto espaço de tempo o andamento e controle de ações ordinárias e extraordinárias foi outro fator decisivo para a conquista da certificação.

Rômulo Montenegro ressaltou mais uma vez a importância de um cadastro atualizado e constantemente alimentado. “Com as movimentações ocorridas ficou muito mais fácil identificar e localizar eventuais focos de doenças, vírus e/ou qualquer suspeita que recaísse sobre o rebanho paraibano, de forma que ao longo destes três anos diversas suspeitas foram identificadas, acompanhadas por técnicos da Defesa e do Mapa, e logo realizadas as devidas análises e diagnosticados os problemas”, comentou.

Por fim, renovou-se nestes três anos a frota de veículos com a aquisição de camionetas e veículos de passeio de maneira a proporcionar aos técnicos melhores condições de trabalho e maior eficiência do serviço sanitário animal.

Estas e outras ações, somadas ao esforço de todos os que fazem a Defesa Agropecuária, foram fundamentais para que conquistássemos este reconhecimento internacional, que denota a importância de um trabalho sério e comprometido na busca sempre constante de aperfeiçoar a vigilância sanitária no território paraibano.”, acrescentou o secretário Montenegro.