Fale Conosco

4 de maio de 2009

Secretário confirma legalidade de ação da PM em Pocinhos



“O trabalho foi realizado com legitimidade”, afirmou o secretário da Segurança e da Defesa Social, Gustavo Ferraz Gominho, referindo-se à ação empreendida pela Polícia Militar, no último sábado (2), durante tentativa de ocupação da fazenda Cabeça de Boi, localizada no município de Pocinhos, às margens da BR-230.

De acordo com Gustavo Gominho, a polícia foi acionada pela proprietária da fazenda, Maria do Rosário Magno Cavalcanti, no momento em que cerca de 30 pessoas provenientes de Catolé de Boa Vista, distrito de Campina Grande, invadiam o local utilizando um ônibus fretado e um veículo Fiat Palio.

“Segundo relatório, os policiais foram recebidos a tiros pelos sem terra, que atearam fogo em um carro e em uma residência da propriedade para evitar a ação da PM. Isso motivou uma reação dos policiais, que fizeram uso de meios auxiliares de contenção e uso progressivo da força para própria defesa e para controlar a situação”, explicou o secretário, acrescentando que com o grupo de sem terra foi encontrada uma espingarda calibre .32.

Foram presos em flagrante pela delegada Maria do Socorro Ribeiro os agricultores Osvaldo Soares Meira, 48 anos, e Nilton Tavares de Araújo, 42, e depois submetidos a exame de corpo de delito. Dois menores ainda foram apreendidos por participarem da invasão.

Em depoimento, Osvaldo e Nilton confirmaram participação no incêndio e na invasão da fazenda, que foi planejada. “Os dois foram autuados por causar incêndio em casa habitada, que prevê pena de 3 a 6 anos de reclusão, e por esbulho possessório, que pode levar ao cumprimento de 1 a 6 meses de detenção. Enfim, as confissões confirmam a necessidade da ação da PM, que nada fez além de cumprir o seu dever”, garantiu Gustavo Gominho.