João Pessoa
Feed de Notícias

Secretaria reúne 90 estudantes de 45 municípios paraibanos em seminário, em JP

terça-feira, 10 de novembro de 2009 - 17:47 - Fotos: 

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), repassados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), mostram que de janeiro a outubro deste ano, foram notificados 26 novos casos de Aids em adolescentes e jovens paraibanos, de 13 a 24 anos. O pior é que muita gente tem a doença e não sabe. Para reduzir a vulnerabilidade ao HIV/Aids e formar jovens protagonistas para participar das políticas de enfrentamento ao problema, a SES realizou nesta terça-feira (10), o ‘Seminário de Protagonismo Juvenil’ para 90 estudantes de 45 municípios paraibanos.

Os jovens começaram a ser capacitados para atuar no projeto Saúde e Prevenção nas Escolas (SPE). O curso acontece até esta quarta-feira (11), no Netuanah Praia Hotel, sob a coordenação da Gerência Operacional de DST/Aids. Os participantes se tornarão agentes multiplicadores do projeto.

Empolgação – Para a estudante universitária de Mataraca, Dominique Rodrigues, 25 anos, os jovens têm mais facilidade de absorver informações quando elas são repassadas por pessoas da mesma faixa etária. “Sou agente comunitária de educação lá em Mataraca e, por isso, já faço essa ponte entre a família e as escolas. Para mim, vai ser bem mais fácil levar informação sobre prevenção a Aids e a outras DSTs aos adolescentes e jovens, porque eles já me conhecem. Estou muito empolgada com essa capacitação”, disse.

Rodrigo Batista da Silva, 18 anos, é estudante do 1º ano do ensino médio em Caiçara e foi indicado por seu município para participar do projeto, porque faz parte de um grupo de discussão sobre assuntos que interessam aos jovens, como gravidez na adolescência e DSTs. “A maioria dos jovens do meu município é de classe média/baixa e, por isso, não têm muito acesso a esse tipo de informação. Quero repassar tudo o que eu aprender aqui hoje, não apenas para os jovens, mas pra toda a comunidade”, falou.

Casos em 157 municípios – Segundo Elisabeth Barboza, técnica da Gerência Operacional de DST/Aids da SES e coordenadora do SPE, dos 223 municípios da Paraíba 157 já têm registro de casos de Aids. Ela explica que apesar do projeto ser voltado para adolescentes e jovens, as ações beneficiam toda a comunidade.

“As ações do SPE vêm refletindo no Brasil como um todo, garantindo não apenas o acesso as informações, como também aos preservativos, disponibilizados nas unidades básicas de saúde. O nosso objetivo de trabalhar com os jovens é porque, a nossa experiência na Paraíba, tem mostrado que eles são verdadeiros atores. Nesse seminário, vamos ensinar a eles a metodologia de trabalho, mas também vamos ouvi-los, escutar as suas sugestões. Eles vão nos dizer como fazer e vão aprender fazendo”, disse.

Informação correta – Samara Lima, 18 anos, aluna do 3º ano do ensino médio de Bayeux, já é uma jovem protagonista, mas está participando do seminário para ampliar os conhecimentos. “Entrei no projeto em 2006 e percebo que as ações têm muita eficácia. O nosso município é o terceiro do Estado em casos de Aids. Lá também existem muitos casos de adolescentes grávidas. Por isso, o nosso trabalho é tão importante. Os jovens são muito curiosos, eles querem saber, querem ter informação sobre sexo, DSTs, mas, como não têm a liberdade de conversar com os pais, acabam recebendo informações erradas e o pior acontece. Com o projeto, eles se sentem à vontade para perguntar, questionar e isso é muito bom”, comentou.

Diego Jacinto, 18 anos, aluno do 3º ano de Bayeux, que também atua no SPE, lembrou que os jovens protagonistas “são peças fundamentais no projeto”. Ele falou da responsabilidade de levar informação para outros jovens e disse que se sente feliz em poder contribuir com as ações. “Vocês, que estão aqui hoje, vão ter um grande aprendizado. Nós, que fazemos parte do projeto, temos a oportunidade de ajudar outras pessoas e de salvar vidas”, disse, durante a abertura do evento.

Jovens líderes – As atividades do seminário incluem trabalhos de grupos, mostras de vídeos e apresentações de teatro relacionadas aos temas trabalhados no programa, que são ética e cidadania, gravidez na adolescência, direitos sexuais e reprodutivos, drogas e diversidade sexual. Cada município selecionou dois jovens com idades entre 15 e 24 anos, que se destacam por possuir um perfil de liderança.

O SPE atua nas escolas públicas com ações educativas sobre HIV/Aids e outras DSTs, que incluem palestras, oficinas, feiras, teatro, cinema e desfiles.  Desde que foi criado, em 2004, o projeto formou cerca de mil jovens protagonistas em 12 municípios da Paraíba: Itabaiana, Pedras de Fogo, Campina Grande, Patos, Esperança, Cuité, João Pessoa, Cabedelo, Santa Rita, Bayeux, Lucena e Guarabira. Nesses municípios, as ações já atingiram 122 mil jovens de 192 escolas.

Este ano, o projeto, que tem como público-alvo adolescentes e jovens de 13 a 24 anos, passou a fazer parte do Programa Saúde na Escola (PSE), que tem a adesão de 81 municípios paraibanos. Além de Elisabeth Barboza e Diego Jacinto, participaram da mesa de abertura dos trabalhos, o jovem protagonista do município de Cuité, José Mário da Silva Sousa; a técnica da Saúde do Adolescente da SES, Raquel Holanda, e o diretor do Centro de Testagem e Aconselhamento de João Pessoa, Roberto Maia.  
 

Da Assessoria de Imprensa da SES/PB