João Pessoa
Feed de Notícias

Secretaria fortalece entidades na luta por direitos da mulher

segunda-feira, 8 de março de 2010 - 15:16 - Fotos: 
A criação da Secretaria da Mulher, pelo governador José Maranhão, repercutiu positivamente entre representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs) e entidades diversas engajadas na luta pelos direitos da mulher. Durante a solenidade, realizada na manhã desta segunda-feira (8) no Palácio da Redenção, em João Pessoa, essas representantes fizeram questão de dar depoimentos destacando a importância desse órgão estadual para a implantação de políticas públicas na Paraíba.

Lourdes Meira, da União Brasileira das Mulheres e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher.
     
“Com a criação dessa secretaria muita coisa vai mudar na Paraíba. Por exemplo, nós temos hoje uma coordenadoria em nível de município e a de Estado foi criado o programa; só que, tanto o programa como a coordenadoria municipal têm limitações, ou seja, elas não têm orçamento próprio nem independência como uma secretaria.

Então, o que vai ocorrer com a criação da nova pasta estadual: em primeiro lugar, ela vai centralizar todas as reivindicações das mulheres, todas as políticas públicas das mulheres e há certa independência pelo fato de ser uma secretaria e ter orçamento próprio. Ou seja, muito mais independência para tomar suas decisões. Já do ponto de vista político é uma conquista muito importante para todas as mulheres paraibanas.

Maria Marques Maciel, dagan do Ilê Axé Omilodé.

“A criação dessa nova pasta é um avanço muito grande para os movimentos femininos, já que a ela é uma secretaria de Estado que vai tratar políticas públicas para todas as mulheres, sejam elas negras, brancas, indígenas, ciganas, trabalhadoras rurais e urbanas. Eu acredito que a mudança nas políticas públicas, coma criação da secretaria, vai atingir todo o Estado, porque vão surgir aí os pólos onde nós poderemos tratar as questões da violência contra mulher, o mercado de trabalho da mulher, entre outras”.

Jemima Marques, membro do Movimento Marcha Mundial de Mulheres Seção da Paraíba.

“Nós acreditamos que a criação dessa secretaria vai servir como um incentivo não somente para as políticas que já estão postas no Brasil no sentido de inter-setorizar com as demais secretarias as reivindicações das mulheres e as políticas públicas especificas do gênero, como também para que a situação em que a mulher vive hoje tenha visibilidade.

Eu acredito nisso porque uma secretaria sempre prioriza ou tem como foco problemas que não são específicos e isso para nós mulheres é muito importante, principalmente no que diz respeito ao trabalho e a inserção da mulher no desenvolvimento do Estado”.

Isabel Cristina da Silva Barroso, representante do Movimento das Mulheres Ciganas da Paraíba.

“A criação dessa secretaria representa tudo de bom para as mulheres de um modo geral, porque é através dela que nós vamos ter um acompanhamento mais organizado, tendo mais participações com influência em nossa comunidade, seremos mais respeitadas e teremos diversas garantias”.

Socorro Pontes, da Coordenação do Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres.

“Eu acredito que essa secretaria vem para fortalecer os conselhos das mulheres municipais e o Conselho Estadual das Mulheres, para colocar em prática as suas ações, já que nós tínhamos esses conselhos de fato, mas que existiam de direito. Então, a partir do Programa Estadual de Mulheres nós vamos colocar o Conselho Estadual em prática, que hoje funciona com uma comissão provisória”.

Socorro Pimentel, coordenadora do Movimento Negro Organizado da Paraíba.

“Nós acreditamos que com a criação dessa secretaria haverá uma mudança significativa, uma vez que nela estão inseridas lutas históricas acumuladas e formalizadas por todos os segmentos das mulheres, sejam elas negras, indígenas, ciganas, urbanas, ricas ou pobres de todos os recantos da Paraíba.

O nosso governador José Maranhão, através dessa proposta política de inserção e de equidade de gênero, faz com que possamos buscar os serviços da educação, saúde e sociais, na perspectiva da moradia com qualidade e sobretudo da cidadania para nós mulheres”.

Teresa Duarte, com fotos de Antonio David, da Secom-PB