João Pessoa
Feed de Notícias

Secretária e gerente do programa discutem políticas públicas e equidade de gênero, em CG

quinta-feira, 22 de outubro de 2009 - 17:58 - Fotos: 

Com o objetivo de implementar ações para firmar e fortalecer o Pacto de Enfrentamento a Violência contra a Mulher em Campina Grande, a secretária de Interiorização e Ação Governamental, Ana Cláudia Nóbrega Vital do Rego, se reuniu na quarta-feira (21) com a gerente do programa Doraci Vieira, mais a sub-gerente Soraya Cordeiro, a chefe de gabinete da pasta local Ana Cleide Rotondano e a assessora Maria da Paz.

A reunião aconteceu na sede da Secretaria de Interiorização e Ação Social e o objetivo foi viabilizar a assinatura do pacto, através do Governo do Estado, com todos os municípios paraibanos que ainda não aderiram ao programa. Segundo Ana Claúdia, a principal finalidade foi discutir as políticas públicas para as mulheres, que serão ampliadas no município, e o planejamento de ações voltadas para o segmento feminino.

Entre essas ações está a reestruturação da Casa Abrigo de Campina Grande, que se destaca por ser a única em todo o Estado e agora passará a atender às vítimas de violência de outros município paraibanos. O assunto foi recentemente discutido com o secretário chefe de Gabinete do Governo Veneziano Vital, professor Hermano Nepomuceno.
 
Compromisso – Douraci Vieira disse que quando um município adere ao Pacto, significa que se compromete “a realizar políticas públicas voltadas para a promoção da cidadania e da equidade de gênero, organizando uma rede de atendimento às vítimas, que inclui serviços de segurança, saúde, assistência social, entre outras áreas”. Outra prerrogativa é criar um organismo para coordenar as atividades, a exemplo de secretaria ou coordenadoria.

Para a secretária Ana Cláudia, além de todas essas medidas, “é preciso realizar atividades e mobilizações que chamem a atenção da sociedade para a importância da participação nesse processo de combate à violência contra a mulher. Esse é o tipo de crime que a polícia sozinha não consegue controlar”.

 
Apolinário Pimentel, da Secom-PB em Campina Grande