Fale Conosco

1 de agosto de 2013

Secretaria diz que vacina tríplice viral está disponível nas unidades básicas de saúde



A Secretaria de Estado da Saúde faz um alerta à população para a importância da vacinação contra o Sarampo. A imunização, segundo explica a gerente executiva de vigilância em saúde, da (SES), Talita Tavares, é feita por meio da vacina tríplice viral, que imuniza também contra rubéola e caxumba.

Desde o mês de maio temos registro de casos reagentes para sarampo no município de João Pessoa, e a melhor forma de controlarmos a doença é a vacinação. A imunização está disponível nas unidades básicas de saúde de todos os municípios”, destacou Talita.

De acordo com dados da SES, até o dia 31 de julho foram notificados 106 casos de sarampo na Paraíba, com destaque para João Pessoa com 95 notificações e dois casos confirmados, e Bayeux com quatro notificações e sem a confirmação de caso.

Talita Tavares explica que as crianças devem tomar duas doses da vacina, sendo a primeira ao completarem 12 meses de idade e a segunda com 15 meses. Para os adolescentes (11 a 19 anos), está indicado o esquema de vacinação da tríplice viral quando não se comprovar o esquema de duas doses. Em caso de apresentar comprovação de apenas uma dose, administrar a segunda dose, sendo o intervalo mínimo entre as doses de 30 dias. Já para os adultos, deve-se administrar uma dose em homens de 20 a 39 anos de idade e em mulheres de 20 a 49 anos de idade (com exceção das gestantes) que não apresentarem comprovação vacinal.

As pessoas com viagem programada para o exterior devem estar vacinadas seguindo o preconizado no calendário básico de vacinação para criança, adolescente e adulto pelo menos 15 dias antes do embarque. Profissionais das áreas da saúde, educação e turismo, e caminhoneiros também devem ser imunizados.

Diante da ocorrência de casos reagentes no município de João Pessoa, a SES/PB recomenda às Secretarias Municipais de Saúde que alertem aos agentes e profissionais de saúde das unidades públicas e privadas, enfatizando que diante de um caso suspeito de sarampo seja feita a notificação nas primeiras 24 horas por telefone à SMS, SES/PB ou CIEVS (2318.7331 ou 8828.2522 – funcionamento 24 horas), onde serão dadas as informações necessárias quanto ao isolamento domiciliar até o final do período de transmissibilidade (4 dias após o início do exantema), coleta sorológica, PCR e bloqueio vacinal seletivo dos contatos do caso suspeito em até 72 horas.

Definição caso – Toda pessoa (independentemente da situação vacinal) que apresentar febre e exantema maculopapular, acompanhados de um ou mais dos seguintes de sinais e sintomas como tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite, independente do histórico de viagem ao exterior nos últimos 30 dias ou de contato, com alguém que viajou e da situação vacinal de tríplice viral, deve procurar um serviço de saúde para avaliação.

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa, muito comum na infância. Por se tratar de uma doença transmitida diretamente de pessoa a pessoa, através das secreções nasofaríngeas, expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar, sendo essa forma de transmissão responsável pela elevada contagiosidade da doença.