Fale Conosco

2 de abril de 2012

Secretaria de Desenvolvimento Humano lança novo portal Criança.PB



A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (SEDH) lançou nesta segunda-feira (2) a nova versão do portal de internet Criança.PB, criado desde 2010 para oferecer subsídios e orientações aos profissionais da mídia na abordagem de notícias ligadas ao tema. O site recebeu novo layout e mais funcionalidades.

O relançamento marca o início das atividades do projeto para este ano, quando serão realizadas oficinas com profissionais do Direito e jornalistas, um seminário sobre os direitos da criança e do adolescente e mídia, além da segunda edição do Concurso de Jornalismo Criança.PB, que, em 2012, terá uma nova categoria: fotojornalismo.

“Tivemos 45 mil acessos no primeiro ano de atividades do portal. Lançamos informações específicas para jornalistas que atuam na área, com artigos, críticas, entrevistas com especialistas, informações sobre o tema, divulgação de eventos. A meta é fortalecer o discurso e o tratamento específico na área”, explica Janaína Araújo, jornalista responsável pelo portal, adiantando que a primeira ação já será realizada em maio.

“Em maio, teremos uma oficina com operadores do Direito e da Segurança Pública, quando discutiremos, junto a especialistas de renome nacional, como estabelecer relações com a mídia, defendendo, ao mesmo tempo, os direitos das crianças e dos adolescentes conforme prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente”, enfatizou.

Nas escolas – As ações do Criança.PB, porém, se iniciaram no mês de março. Cerca de 60 estudantes de três escolas da Capital, dos 12 aos 17 anos de idade, estão participando de oficinas para discutir como os meios de comunicação abordam os temas relacionados às crianças e adolescentes. A partir dessa discussão, os alunos farão, com a ajuda de um supervisor, programas de rádio sobre o tema, os quais poderão, ao final do curso, ser veiculados na Rádio Tabajara.

Para o radialista Sérgio Silva, que realiza esse trabalho, como a atividade não requer equipamentos sofisticados, os estudantes não terão dificuldades. “A proposta é simples, mas com a intenção de criar um espaço de discussões, seja através de entrevistas, de prestação de serviços, ou mesmo através de dicas de telefones e meios que possam auxiliar crianças e adolescentes na garantia de seus direitos”, revelou.

Entretanto, além dos participantes da oficina, os demais estudantes das três escolas também poderão ser premiados. “Como os principais programas vão ser gravados em um CD, que será veiculado na programação da Tabajara, precisaremos de uma capa. Mesmo quem não tenha participado da oficina poderá submeter sua ideia. A melhor delas será premiada, porque o interessante é estimular a criatividade”, disse.