Fale Conosco

19 de dezembro de 2012

Secretaria da Saúde participa das ações da Operação Rodovida da PRF



O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde (SES), vai participar das ações que serão realizadas pela Operação Rodovida, da Polícia Rodoviária Federal, lançada em todo o Brasil no último dia 13. Nesta quarta-feira (19), às 15h, o secretário de Estado da Saúde, Waldson Dias de Souza, vai participar de uma entrevista coletiva com a participação de vários outros órgãos que são parceiros da PRF. A entrevista será na sede da Polícia Rodoviária, às margens da BR-230, no Bairro do Cristo, em João Pessoa.

Na entrevista coletiva, o secretário Waldson Dias de Souza vai fazer uma explanação de toda a rede de saúde que o Governo do Estado disponibiliza para atender, principalmente, pessoas vítimas de acidentes automobilísticos.

Waldson Souza destacou que eventos como esse são de extrema importância para orientar e alertar a população sobre os acidentes de trânsito, além de contribuir para a prevenção e redução de acidentes, especialmente de motos. “O Governo do Estado tem se preocupado com este assunto e a meta não é intensificar as ações apenas no período de festas, mas também em outros períodos do ano. Esse evento é fruto de um trabalho ostensivo e educativo com ações conjuntas entre a SES, PRF, DER, BPTran, os órgãos que trabalham no resgate móvel, a exemplo do Samu e Corpo de Bombeiros, além de outros órgãos”.

De acordo com o secretário, é necessário que o trabalho de educação e prevenção relacionado aos acidentes seja contínuo, assim como a conscientização por parte da população, para diminuir o número de entrada de pacientes nos hospitais vítimas de acidentes de trânsito.

O Governo do Estado coloca à disposição  dos paraibanos vários hospitais e outros serviços de saúde prontos para atender a população, não só na área de traumatologia como também  em outras especialidades. Como unidades de referência na área de traumatologia, Wadson Dias de Souza destacou os Hospitais de Trauma de João Pessoa e Campina Grande, lembrando também que em todo o Estado existem ainda os  hospitais regionais  com profissionais qualificados para atender a população  paraibana nas mais diversas especialidades.

“O Governo do Estado vem equipando e reestruturando toda a sua rede de saúde para oferecer ao povo paraibano um atendimento digno com qualidade e eficiência”, disse o secretário.

Parcerias – Além da Secretaria de Estado da Saúde, a Operação Rodovida conta com a parceria do Departamento Estadual de Trânsito (Detran)  do Batalhão de Trânsito  da Capital (BPTran),  Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte  (Dnit), Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) e  Policia Civil.

A operação Rodovida conta também com participação de quatro ministérios (Justiça, Saúde, Transportes e Cidades), em uma ação integrada de conscientização e fiscalização para reduzir o número de acidentes no trânsito no período de 15 de dezembro a 13 de fevereiro de 2013. Os dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apontam que, neste período, ocorre o maior número de acidentes de trânsito comparado com a média anual.

Dados – O foco da Operação Rodovida é a fiscalização de motos e da lei seca. Apenas em 2012, foram registrados 1.171 acidentes envolvendo motociclistas. Acidentes ocasionados por motoristas embriagados causaram a morte de 30 pessoas nas rodovias federais da Paraíba. De acordo com a PRF, os 100 trechos mais críticos do país, com dez quilômetros cada, se somados correspondem a 1,4% da malha federal sob a responsabilidade da PRF.

Porém, são neles que acontecem 27,6% dos acidentes e 11% das mortes registradas de janeiro a setembro de 2012. Na Paraíba, todos os pontos críticos elencados como prioritários pelo Governo Federal estão na BR-230. São três pontos incluídos entre os quilômetros de 10 a 40, trecho que vai das proximidades da Mata do Amém até o município de Santa Rita. Em apenas esses 30 quilômetros de rodovias federais estabelecidos como prioritários pelo Governo Federal, ocorreram 1.149 acidentes de trânsito, com 560 feridos e 13 mortes, no período de janeiro a setembro deste ano.