Fale Conosco

9 de fevereiro de 2012

Secretaria da Mulher participa de audiências em Brasília para articular projetos e convênios



A Secretária De Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Iraê Lucena, participou de uma série de audiências em Brasília para a articulação de ações e projetos que irão beneficiar mulheres agricultoras, população LGBT, comunidades quilombolas, ciganas e de terreiros na Paraíba.

No Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) a secretária participou de reunião de capacitação com o objetivo de conhecer as bases técnicas e prazos de execução do projeto “Cidadania e Organização das Mulheres Rurais – Fortalecendo a autonomia das produtoras locais – PB”, que enviará recursos para a Paraíba que totalizam R$ 1.694.813,92.

O objetivo do projeto é a formar mulheres e grupos de mulheres produtivas da zona rural da Paraíba para o fortalecimento da autonomia econômica e política, promovendo o acesso da documentação pessoal e a regularização das organizações, associações e cooperativas de mulheres, e a inserção em fóruns, comitês, conselhos e territórios da cidadania, valorizando os saberes e a cultura local.

A ação será desenvolvida nos territórios da cidadania do Médio Sertão, Cariri Ocidental, Curimataú e municípios da microrregião do Cariri Oriental e da Mesorregião do Sertão Paraibano em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap) e com as ONGs Centro da Mulher 8 de Março e Cunhã Coletivo Feminista.

“Articulamos uma visita do Ministro do Desenvolvimento Agrário a Paraíba Afonso Florence a Paraíba para a primeira quinze de março como parte das comemorações do Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 08. Participamos também de uma reunião para apresentação da 1ª Conferência Nacional sobre Assistência Técnica e Extensão na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária (Cnater), promovida pelo MDA no mês de abril onde o governo quer garantir que no mínimo 30% dos participantes sejam mulheres”, informou Iraê.

Mulheres da paz – A secretária também se reuniu com a coordenadora nacional do Mulheres da Paz, Beatriz Cruz, com o objetivo de tentar inserir a Paraíba no programa do Governo Federal “Mulheres da Paz”. Vinculado ao “Territórios de Paz”, conjunto de ações do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), o projeto visa formar lideranças comunitárias para atuarem nos Territórios de Paz no resgate e integração de jovens de 15 a 24 anos em projetos culturais, sociais e profissionalizantes. As mulheres são capacitadas e recebem uma bolsa do Governo Federal. O objetivo é o de que, com o término do projeto, elas continuem a trabalhar nas suas comunidades como multiplicadoras da cultura de paz.

Enfrentamento à homofobia – Na Secretaria Nacional de Direitos Humanos, Iraê apresentou a necessidade de criar unidades do Centro de Referência LGBT em outros municípios do Estado. Hoje, a Paraíba conta com um espaço para a promoção da cidadania LGBT em João Pessoa, inaugurado pelo Governo do Estado no ano passado. “Fizemos um convite à ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, para vir assinar um termo de articulação e implementação de políticas de enfrentamento à homofobia na Paraíba”, destacou.
Brasil quilombola – Encerrando a agenda de audiências, a secretária também foi recebida na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial para debater ações do Programa Brasil Quilombola na Paraíba. “Discutimos também projetos para a melhoria do Centro de Referência Cigana, que fica na cidade de Sousa, o primeiro a ser construído no país. Também queremos fazer um mapeamento das populações de terreiros em todo o Estado, ação que até o momento só foi possível ser desenvolvida em João Pessoa”, informou.