João Pessoa
Feed de Notícias

Secretaria da Mulher destaca 79 anos do direito ao voto feminino no Brasil

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011 - 16:34 - Fotos: 

Nesta quinta-feira (24), o voto feminino completa 79 anos no Brasil e a data é uma oportunidade fundamental para o fortalecimento da luta por maior abrangência das políticas públicas femininas.

A secretária de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Irâe Lucena admite que ainda é pequena a representação feminina na política estadual, mas ressalta que apesar das dificuldades as mulheres já conseguiram espaços importantes na política partidária.

“Cabe aos próprios partidos políticos dar esse espaço. Essa data é um marco para todas as mulheres do país. Destaque para Bertha Lutz, uma das figuras pioneiras do feminismo no Brasil, que liderou a campanha em favor da participação das mulheres no voto. Quem diria que teríamos a oportunidade de ver a primeira mulher no comando do país? Dilma Rousseff na Presidência da República é o estímulo para que outras mulheres possam, sim, chegar a outros espaços no poder”, destaca.

No Senado, a bancada feminina é composta por 12 mulheres. Na Paraíba, elas ainda são minoria: três vereadoras, uma deputada federal e seis deputadas estaduais.

A gerente executiva da Equidade Racial da Secretaria, Regina Alves, acredita que a conquista do voto feminino, garantido na legislação, foi um avanço que merece ser comemorado, mas ainda falta um caminho longo a ser percorrido: “A cidadania das mulheres negras e indígenas, por exemplo, está bem aquém. Ainda falta muita coisa para ser conquistada, a exemplo da igualdade de oportunidade na educação e na saúde, que são exercícios de cidadania”.
             
A história – As mulheres conquistaram o direito ao voto no Brasil no dia 24 de fevereiro de 1932 pelo código eleitoral provisório criado no governo de Getúlio Vargas, depois de uma intensa campanha nacional. Foi aprovado, inicialmente, que apenas mulheres casadas, viúvas e solteiras, que tivessem renda própria, teriam direito a exercer a cidadania. Só dois anos depois, as restrições ao voto feminino foram eliminadas do Código Eleitoral, embora a obrigatoriedade do voto fosse um dever masculino.

Dados divulgados pela Justiça Eleitoral da Paraíba revelaram que as mulheres, nas últimas eleições, lideravam o eleitorado paraibano com 52,69% do total de 2.740,079 eleitores. Ou seja: eram 1.416.574, ao passo que os homens foram 1.349.897 (47,31%).
             
A professora Elinaide de Carvalho exerceu pela primeira vez o poder do voto quando tinha 18 anos. Desde então, nunca abdicou de votar. Hoje, aos 45 anos, ela destaca a importância da participação feminina no processo eleitoral. “Essa acessibilidade ao voto foi de grande importância para nós mulheres. É a maneira mais democrática do público feminino exercer a cidadania”, enfatiza.