Fale Conosco

24 de junho de 2009

Secretaria confirma os primeiros casos de gripe A na Paraíba



O secretário estadual da Saúde, José Maria de França, confirmou os primeiros dois casos de gripe A, na Paraíba, durante entrevista coletiva à imprensa, na manhã desta quarta-feira (24). Os infectados pelo vírus H1N1 são dois homens que chegaram da Argentina, na semana passada. “São casos importados. A população não precisa entrar em pânico, mesmo porque já sabemos que esse novo vírus não tem a alta letalidade que se pensava. Como não há vacina ainda, a preocupação são com os idosos, crianças menores de dois anos e pessoas com baixa imunidade”, explicou.

O secretário endossou a recomendação do Ministério da Saúde para que as pessoas adiem, se puderem, as viagens para o Chile e Argentina, que têm muitos casos confirmados da doença. A recomendação é principalmente para os idosos, crianças, gestantes, pessoas, imunodeprimidas, diabéticos, cardioapatas, pneumopatas e renais crônicos. Esses grupos de pessoas apresentam maior risco de desenvolver as formas graves da doença, que pode evoluir para pneumonias e enfisemas, por exemplo, e levar à morte.

Leitos – José Maria de França atendeu a imprensa acompanhado da gerente de Vigilância em Saúde, Cleane Toscano; da gerente de Respostas Rápidas, Diana Pinto, e da infectologista Helena Germóglio. Cleane Toscano informou que na próxima sexta-feira, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) estará reunindo representantes de hospitais de João Pessoa e Campina Grande e das secretarias de Saúde dos dois municípios para discutir a disponibilização de leitos nessas unidades de saúde para atender possíveis infectados pela doença, que necessitem de internação.

A gerente de Respostas Rápidas, Diana Pinto, ressaltou que os dois pacientes que tiveram o diagnóstico de gripe A estão bem, um deles inclusive já teve alta do isolamento domiciliar. Ela disse, ainda, que os contatos próximos dos dois homens estão sendo monitorados e foi recomendada a quarentena domiciliar por sete dias, que é o período de incubação e manifestação da doença.

O primeiro caso é de um técnico em telecomunicações, de 27 anos, morador de Cabedelo, que apresentou os primeiros sintomas no dia 15, na Argentina, e chegou ao Brasil três dias depois. Ele teve alta do isolamento no último dia 21. O segundo caso foi de um administrador de empresa, de 32 anos, morador de João Pessoa, que chegou da Argentina no dia 17 e apresentou sintomas dois dias depois. Ele deve ter alta nesta quinta-feira.

Medicação – A infectologista Helena Germóglio lembrou que não há profilaxia para a doença e que as pessoas devem ter bom senso e não se automedicar. “Por causa de uma suspeita de meningite, recentemente, a população acabou o estoque de medicamentos das farmácias, tomando remédios que podiam até fazer mal à saúde. O tratamento para a gripe A só adianta se for iniciado nos primeiros dois dias de aparecimento dos sintomas e só é administrado aos casos realmente suspeitos. A gripe A é uma doença que evolui para a cura como uma gripe normal, podendo haver complicações em pessoas dos grupos de riscos, como na gripe comum. Não há motivo para pânico”, afirmou.

Assessoria de Imprensa da SES-PB