João Pessoa
Feed de Notícias

Seap realiza primeiro torneio de futebol no Presídio do Roger  

terça-feira, 16 de dezembro de 2014 - 16:56 - Fotos:  Divulgação

O time formado pelos detentos do pavilhão 1, que adotou o nome de ‘Botafogo da Paraíba’, sagrou-se campeão do I Torneio de Futebol da Penitenciária Flósculo da Nóbrega – Presídio do Roger, durante jogo realizado na manhã desta terça-feira (16), como parte da “Copa dos Presídios”, promovida pela Gerência de Ressocialização da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) em diversas unidades prisionais do Estado. O campeão levantou a taça após uma disputa acirrada no tempo normal, com um empate de 4 x 4, vencendo nos pênaltis. O torneio contou com oito times e envolveu mais de 500 reeducandos, dos quais mais de 120 atuando nos times.

O secretário de Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, que acompanhou a decisão do campeonato, reconheceu a disciplina dos reclusos durante a competição e o esforço da equipe da Seap. “Quero primeiramente agradecer à equipe de agentes penitenciários e diretores de presídios, que estão assimilando a nossa filosofia de trabalho, que não é só a disciplina, mas, principalmente, oferecer a oportunidade da reinserção social a quem tem interesse. Uma grande equipe de profissionais comprometidos está envolvida na produção destes eventos, em especial, a equipe de ressocialização, que hoje mais uma vez mostra à sociedade que o presídio do Roger tem os seus problemas relacionados à estrutura e à superlotação, mas estamos conseguindo melhorar gradativamente cada uma destas questões. Aqui não resumimos as nossas atividades à costura de bolas, mas a implementação de políticas públicas também através do esporte”, ressaltou.

A gerente executiva de Ressocialização, Ziza Maia, também presente ao evento, falou da integração e do condicionamento físico: “O esporte, além de distensionar o ambiente da prisão, tem influência direta no condicionamento físico e na saúde dos atletas, fatos que colaboram para que estes reeducandos recuperem a autoestima e possam direcionar as suas vidas para o mundo do trabalho ou até mesmo daqui poderemos descobrir algum atleta, como é o caso de Wendson Yslam, que deixou claro o seu talento com a bola, mas o mais importante é esta interação entre eles e o espírito de competitividade sem violência”.

O diretor da penitenciária, Langstein Formiga, fez questão de ressaltar a tranquilidade em todas as etapas da competição. “O mais importante é que a rivalidade ficou dentro das quatro linhas, o que é até salutar para o bom andamento do torneio e para o convívio entre os apenados, por isso acho que, além do brilho que o futebol proporciona, a questão de não ter havido nenhum incidente é uma coisa muito positiva e que merece ser destacada”, comentou.

O atleta Wendson Yslan, que sonha em ser atleta profissional e foi o destaque do torneio, sendo eleito o melhor jogador e ainda artilheiro da copa, com dez gols, ressaltou que “uma atividade esportiva como esta é muito bom para a gente se distrair; eu sempre gostei muito de jogar futebol e se eu tiver oportunidade de realizar teste em algum clube após sair daqui, com certeza vou agarrar a chance e mostrar o que eu sei fazer de melhor, que é jogar futebol”.