João Pessoa
Feed de Notícias

Seap instala Grupo de Operações Especiais e entrega equipamentos

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012 - 09:56 - Fotos:  Secom-PB

A Secretaria de Administração Penitenciária instalou o Grupo Especial de Operações Penitenciárias (GPOE) e entregou equipamentos a esse contingente especial de agentes penitenciários.

“A implantação desse grupo especializado reforça e qualifica o poder de contenção do nosso sistema penitenciário”, disse o secretário de Estado da Administração Penitenciária, Harrison Targino, no ato de entrega dos equipamentos, nessa terça-feira (14) na Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice, bairro Mangabeira, em João Pessoa.

O GPOE está preparado para pronto emprego em várias situações e será expandido para Patos e Campina Grande, disse o secretário.

Foram entregues 30 coletes balísticos, 15 escudos antimotim, dois escudos de proteção balística, 10 pistolas, 25 capacetes antimotim, além de uniformes. Entre as missões do grupo estão escoltas de alto risco e ações de primeira resposta em tumultos, motins e rebeliões nas instalações penitenciárias.

O grupo age em ação supletiva ao emprego de tropas da Polícia Militar e reforça ações operacionais da própria Seap. O trabalho do grupo é semelhante ao de tropas mais especializadas como o caso do Gate e do Choque, ambos da Polícia Militar, e como o NOE, da Polícia Rodoviária Federal, explica o coronel Arnaldo Sobrinho, gerente de planejamento.

Para o agente penitenciário Luciano Melo, participar do grupo especial é uma excelente maneira de ajudar na segurança da sociedade: “Vamos ajudar a sociedade na segurança e na contenção qualificada, agindo da melhor forma em qualquer tipo de distúrbio do sistema prisional”.

O processo de seleção e formação do grupo foi conduzido pela Escola de Gestão Penitenciária da Paraíba e ocorreu durante 15 dias. Duzentos agentes penitenciários tiveram treinamento com disciplinas operacionais como gerenciamento de crises, técnicas de emprego de equipamentos não letais, emprego de agentes químicos e controle de contato. A formação complementar ficou a cargo da Companhia de Choque e Gate, da Polícia Militar.