João Pessoa
Feed de Notícias

Seap e Policia Militar apreendem celulares, drogas e armas em presídios do Estado

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012 - 09:43 - Fotos: 

Num período de 24 horas, a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) apreendeu 11 celulares e 36 espetos, entre outros objetos ilícitos, em operações nos presídios em três cidades: uma da região metropolitana da capital, outra no Brejo e uma no sertão. Nesta quinta-feira (20), com apoio da Polícia Militar, a Seap efetuou no presídio Vicente Claudino, em Guarabira, os agentes penitenciários apreenderam 30 espetos, 5 facas artesanais e 5 celulares.

Em Santa Rita, na quarta-feira (19), as ações foram dirigidas pelos próprios agentes penitenciários de plantão sob o comando da diretora Edna Veloso. Numa das celas foram apreendidos  5 celulares, 2 fones de ouvido e 6 trouxinhas de maconha. Uma sindicância será aberta para apurar a responsabilidade disciplinar dos presos quanto a posse dos objetos ilícitos.

Em Patos, na tarde de quarta-feira , as ações foram viabilizadas pelos agentes penitenciários e equipe do Grupo Penitenciário de Operações Especiais (Gpoe), com apoio da Polícia Militar. Durante a varredura numa das celas  foram encontrados 6 espetos, 1 faca artesanal,  6 chips e 1 celular. Como a ação tem relação com uma agressão a outro apenado, dois envolvidos identificados foram conduzidos à Delegacia de Patos, onde foram autuados em flagrante por Lesão Corporal.

De acordo com o gerente do Sistema Penitenciário, tenente coronel Arnaldo Sobrinho, as ações tem seguido um cronograma determinado pelo secretário Washington França, para assegurar a manutenção do clima de tranquilidade  nas unidades prisionais. Ele falou que na terça-feira (18), uma operação semelhante resultou na apreensão de cerca de 1kg de maconha prensada, 100g de cocaína e ainda dois celulares que teriam sido entregues por um mototaxista, que deixou a encomenda na portaria da unidade prisional um dia antes.

O agente está detido e vai responder por quatro crimes, entre eles, o de associação ao tráfico. O secretário Washington França lamentou a situação, mas destacou a importância do trabalho realizado pelos agentes ao identificar a atividade ilícita. “A secretaria não está de olhos fechados para incidentes deste tipo. O agente vai responder um inquérito administrativo para que responsabilidades sejam apuradas. A Seap não compactua com servidores corruptos e o trabalho da direção da unidade e do Gpoe deve ser enaltecido”, revelou o secretário.