Fale Conosco

12 de setembro de 2012

Saúde reúne profissionais para discutir H1N1 e realiza visita técnica em Patos



A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Gerência Executiva de Vigilância e Saúde, reúne nesta quarta-feira (12) representantes dos núcleos hospitalares, farmacêuticos e coordenadores de vigilância das Gerências Regionais de Saúde com o objetivo de trabalhar o Protocolo de Tratamento de Influenza do Ministério da Saúde. O encontro tem o objetivo de fortalecer o fluxo de notificação e distribuição do medicamento Fosfato de Oseltamivir (Tamiflu).  O evento terá início às 14h30, no auditório do Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor).

Além dessa reunião, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) enviou profissionais da Vigilância Epidemiológica da SES e do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) para uma visita técnica nos municípios de Patos e Piancó.

A Gerente Executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares explicou que o protocolo do Ministério da Saúde recomenda tratamento oportuno dos casos de Síndrome Gripal (SG) e de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). “Seguindo os critérios para definição de casos (SG ou SRAG), o protocolo traz conduta medicamentosa com o uso de Fosfato de Oseltamivir (Tamiflu) de forma empírica (não se deve aguardar confirmação laboratorial) junto aos medicamentos sintomáticos e da hidratação, independente da situação vacinal. O Protocolo está disponível no site do Ministério da Saúde”, explicou Talita Tavares.

O vírus influenza é transmitido facilmente de uma pessoa infectada para outra por meio de gotículas e pequenas partículas produzidas pela tosse, espirro ou durante a fala, além do contato das mãos com superfícies contaminadas. No Brasil, os vírus influenza predominantes são o Influenza A e o Influenza B. Os subtipos da influenza A que predominam são: o A/H1 sazonal, A/H3 sazonal e A(H1N1)pdm09.

A Gerente Executiva de Vigilância em Saúde da SES lembra ainda que os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave devem ser notificados. “O profissional de saúde deverá realizar a coleta da naso e orofaringe e enviar o material para o Lacen Paraíba, acompanhado de uma cópia da ficha de Notificação. A ficha original deverá ser entregue para o núcleo hospitalar de epidemiologia ou na Comissão de Controle da Infecção Hospitalar (CCIH) que deverá ser encaminhada imediatamente para o Estado e município”, alerta.

Dados – De janeiro até agora, foram notificados 13 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave no Estado, sendo que um caso destes foi confirmado para Influenza A H1N1 em Guarabira, evoluindo para alta hospitalar. A faixa etária dos casos notificados prevalece entre as faixas etárias de 15 a 19 anos (três casos) e de 30 a 39 anos (três casos). O Estado não registrou nenhum óbito por H1N1, o monitoramento da circulação viral acontece junto às unidades sentinelas para casos de Síndrome Gripal (SG).