Fale Conosco

20 de agosto de 2013

Saúde reúne municípios para acertar detalhes da Campanha de Vacinação contra a Raiva Animal



A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Núcleo de Controle de Zoonoses, promove nesta terça-feira (20), em Guarabira, a segunda reunião com os servidores municipais das áreas de vigilância ambiental; imunização; atenção básica e veterinários, para tratar dos detalhes da Campanha de Vacinação contra a Raiva Animal que acontecerá em setembro, tendo como “Dia D”, 28 de setembro, das 8h às 17 h.

De acordo com a programação das reuniões, a primeira aconteceu no último dia 15, pela manhã, na capital. Nesta quarta-feira (21), à tarde, será em Itabaiana; na quinta-feira (22), à tarde, será em Campina Grande; na terça-feira (27), pela manhã, em Monteiro; na terça-feira (27), à tarde, em Princesa Isabel; na quarta-feira (28), pela manhã, em Piancó; na quarta-feira (28), à tarde, em Patos; na quinta-feira (29), pela manhã, em Cajazeiras; na quinta-feira (29), à tarde, em Sousa; na terça-feira (03), pela manhã, em Catolé do Rocha e quarta-feira (04), pela manhã, em Cuité.

O objetivo destas reuniões é mobilizar os 223 municípios para a vacinação e repassar todos os detalhes. Só deverão ser vacinados cães e gatos a partir de três meses de idade e em bom estado de saúde. Quanto ao cartão de vacina, deve ser levado para atualizar, mas quem não tiver recebe na hora”, explicou o coordenador do Núcleo de Controle de Zoonoses, Francisco de Assis Azevedo.

Na Paraíba a meta é vacinar 607.643 animais, sendo 414.892 cães e 192.751 gatos. Estarão disponíveis nos 223 municípios 800 postos, que funcionarão das 08 às 17 horas, mobilizando aproximadamente seis mil profissionais.

Raiva animal – O último caso da doença em humanos foi em junho de 1999. A raiva é uma doença infecciosa aguda, de etiologia viral transmitida ao homem através da mordedura, arranhaduras, lambeduras de mucosas ou pele lesionada por animais raivosos, causando uma encefalite (infecção no cérebro) viral aguda. A raiva tem uma letalidade muito alta, de aproximadamente 100% dos casos estabelecidos. A única forma de evitar a doença é através da vacinação.