João Pessoa
Feed de Notícias

Saúde reúne hospitais públicos para apresentar trabalho do Serviço de Atenção Domiciliar

quinta-feira, 21 de setembro de 2017 - 12:06 - Fotos:  Ricardo Puppe

A Secretaria de Estado da Saúde (Ses) reuniu na última terça-feira, 19, os hospitais públicos da capital para viabilizar apresentação do funcionamento do Serviço de Atenção Domiciliar de João Pessoa (Sad), com o objetivo de otimizar a gestão de vagas nos leitos hospitalares. Pacientes com doenças crônicas, a exemplo de câncer, Alzheimer e Parkinson, que estejam internos em hospitais e apresentem estabilidade clínica, podem obter alta e receber acompanhamento de equipe multidisciplinar, em casa, por meio do serviço.

“A reunião foi bem produtiva, pois o programa tem potencial para garantir o cuidado integral ao paciente sem os riscos inerentes a internação hospitalar, desde que respeitados os critérios estabelecidos, o que pode contribuir muito com a gestão dos leitos hospitalares”, disse a coordenadora do Núcleo de Urgência e Emergência, da Ses, Déborah Gomes dos Santos.

O Sad é um serviço complementar aos cuidados realizados pela Atenção Básica e nas urgências. As visitas são agendadas. O Serviço é composto por dois tipos de equipes: a Equipe Multiprofissional de Atendimento Domiciliar (Emad), integrada por um médico, um enfermeiro, um fisioterapeuta e três técnicos de enfermagem e a Equipe Multiprofissional Técnica (Emap), formada por assistente social, farmacêutico, fonoaudiólogo, psicólogo e nutricionista. Em João Pessoa, tem sete Emad e três Emap.

Atualmente, o Sad atende 283 pacientes, na capital. A maioria, com mais de 60 anos e do sexo feminino, e as doenças com maior incidência são o Alzheimer e as de pele.

“O paciente que atendemos é aquele com grau de vulnerabilidade onde o domicílio é o melhor ambiente para a sua recuperação e o que oferece uma melhor qualidade de vida, mas, para isso, tem que haver um cuidador que é a peça chave para o sucesso do tratamento”, disse a diretora do Sad, Gilanne da Silva Ferreira.

Ela explicou que o cuidador pode ser alguém da família que passa por um treinamento dado pelo hospital e pelo próprio Sad. “Com isso, o tratamento é feito de forma segura, com a garantia de que tem alguém 24 horas à disposição do paciente”, falou.

Para o intensivista e gerente médico do Hospital de Emergência e Trauma Humberto Lucena, Fagner Dantas, a parceria será muito boa e promissora. “Haverá mais humanização, já que o paciente vai ficar mais perto da família e, com isso, não fica desorientado, algo que é bem comum em pacientes que ficam muito tempo nos hospitais e ainda gera a chance de infecção hospitalar ser zero”, falou.

Participaram da reunião, representantes do Hospital de Emergência e Trauma Humberto Lucena; Ortotrauma (Trauminha), Complexo Hospitalar Clementino Fraga; Hospital Pediátrico Arlinda Marques; Maternidade Frei Damião; Hospital Padre Zé; Hospital Santa Isabel; Hospital Napoleão Laureano; Edson Ramalho e Hospital do Valentina.