Fale Conosco

4 de dezembro de 2015

Saúde realiza seminário sobre Controle Social e Vigilância em Saúde do Trabalhador



A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest-PB), realizou, na manhã da sexta-feira (4), o Seminário sobre Controle Social e Vigilância em Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. O evento foi realizado em parceria com o Cerest-JP e a Fiocruz, e acontecer no auditório do Cerest-PB, no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa.

O seminário é resultado da conclusão do Curso de Multiplicadores de Vigilância em Saúde do Trabalhador, que foi uma parceria entre Ministério da Saúde e Fiocruz. Durante toda a manhã de sexta-feira, foram realizadas mesas de debate sobre controle social e a interface da Saúde do Trabalhador e Atenção Básica. Para a diretora do Cerest-PB, Celeida Barros, é importante não só cuidar do trabalhador que adoeceu, mas sim procurar a causa do seu adoecimento, para que isso seja evitado.

“A Saúde do Trabalhador trabalha vinculada com o controle social. São os trabalhadores que sabem de onde eles estão adoecendo. É importante que as pessoas que trabalham com Saúde do Trabalhador olhem para o seu território e saibam o porquê daquelas pessoas estarem adoecendo. Muitas vezes as pessoas adoecem por causa do que fazem para sobreviver, dos seus processos de trabalho e o que acontece é que a Atenção Básica se esquece de questionar isso, então cuidam dos sintomas, as pessoas melhoram temporariamente, porém não ficam curadas, pois não são afastadas do motivo de seu adoecimento”, explicou Celeida.

O Curso de Multiplicadores de Vigilância em Saúde do Trabalhador foi concluído com 20 alunos, que antes fizeram o Curso Básico de Vigilância em Saúde do Trabalhador, com carga horária de 40 horas/aula. Neste curso é estudada a portaria Nº 3.120, que trata sobre a especificação das ações de vigilância para os processos de trabalho. Em seguida, alguns alunos foram selecionados para tornarem-se multiplicadores do curso.

“No curso vemos a parte de legislação, a interface da Vigilância Sanitária, a importância do controle social, além de uma ação real de vigilância acompanhada. É realmente um curso muito interessante, que capacita e sensibiliza para olhar para o processo de trabalho, visando a saúde dos trabalhadores”, concluiu Celeida Barros.