Fale Conosco

25 de janeiro de 2013

Saúde realiza ações no Dia Mundial de Combate à Hanseníase em Bayeux



O Centro de Referência no Tratamento da Hanseníase, que integra a Secretaria de Estado da Saúde (SES), comemora o Dia Mundial de Combate à Hanseníase neste domingo (27), na Colônia Getúlio Vargas, em Bayeux. Serão realizadas ações durante todo o dia, com a participação da equipe técnica do Hospital Clementino Fraga, da dermatologista Estrela Dantas Maroja, da equipe do Núcleo de Doenças Endêmicas da SES e da ouvidora geral do Estado, Tânia Brito.

O evento terá início às 8h com a recepção e credenciamento das autoridades e representantes religiosos. Em seguida, haverá apresentação de grupos musicais e Culto Ecumênico com líderes religiosos espíritas, católicos e evangélicos. No período da tarde, haverá apresentação musical com voluntários do grupo Sorriso de Esperança. Em seguida, a Equipe Técnica de Saúde realizará ações de detecção de casos novos e diagnóstico da hanseníase através de atendimento médico com a dermatologista Estrela Maroja e o clínico geral Sindolfo Luis de Miranda Freire. Ainda serão apresentados vídeos institucionais. O encerramento das atividades está previsto para às 17h.

Doença – A hanseníase é uma doença infecciosa e atinge a pele e os nervos dos braços, mãos, pernas, pés, rosto, orelhas, olhos e nariz. O tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas é longo e varia de dois a cinco anos. É importante que, ao perceber algum sinal, a pessoa com suspeita de hanseníase não se automedique e procure imediatamente um serviço de saúde.

É preciso observar manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo e áreas da pele que não coçam, mas que causam a sensação de formigamento e ficam dormentes, com diminuição ou ausência de dor, da sensibilidade ao calor, ao frio e ao toque.  

Tratamento – Todos os casos de hanseníase têm tratamento e cura. A doença pode causar incapacidades físicas, evitadas com o diagnóstico precoce e o tratamento imediato, disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS). O tratamento, gratuito e eficaz, pode durar de seis a 12 meses. Os medicamentos devem ser tomados todos os dias, em casa, e uma vez por mês no serviço de saúde. Também fazem parte do tratamento, exercícios para prevenir as incapacidades físicas, além de orientações da equipe de saúde.

Ouvidoria Geral –  A ouvidora Tânia Brito vai falar sobre a importância da ouvidoria, em especial na área da saúde, explicando como ter acesso a demandas, endereços, telefones e outras formas de contato e esclarecimentos, além de ressaltar a temática da humanização na saúde.

Segundo ela, serão pontuadas questões que apontam uma maior incidência de reclamações na ouvidoria da saúde devido a deficiências no atendimento aos usuários. “É preciso investir em uma política de saúde humanizada. Essa deve ser a grande política a ser implementada”, afirmou.

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), 648 pessoas contraíram hanseníase em 2011 na Paraíba. Desse total, 235 são pessoas com idade entre 20 e 39 anos.