Fale Conosco

19 de setembro de 2017

Saúde promove auditoria dos Sistemas de Informação



A Secretaria de Estado da Saúde (Ses), por meio do Núcleo de Resposta Rápida, realiza a auditoria dos Sistemas de Informação em Saúde – SIM e Sinasc. A auditoria, feita periodicamente, acontece nas sedes das Gerências Regionais de Saúde e abrange profissionais de todos os municípios da Paraíba. O objetivo é resgatar informações (nascimentos e óbitos) que, eventualmente, possam não ter chegado aos sistemas.

“Os técnicos da Ses, com o apoio das regionais, checam os sistemas nos três níveis: banco do município, do estado e federal. Assim, podemos ter controle e saber se a quantidade de informações disponíveis no sistema é consistente”, disse a chefe do Núcleo de Resposta Rápida da Ses, Diana Pinto.

De acordo com o Ministério da Saúde, os sistemas de informação em saúde são instrumentos padronizados de monitoramento e coleta de dados.

“Alimentar o SIM e o Sinasc é uma responsabilidade dos municípios. O fornecimento e análise das informações promovem uma melhor compreensão de importantes problemas de saúde da população, facilitando a tomada de decisões nos níveis municipal, estadual e federal”, explicou Diana.

Até o momento, a auditoria dos Sistemas de Informação em Saúde já passou pela 1ª Macrorregional de Saúde (7 a 17 de agosto) e pelas 9ª e 10ª Gerências Regionais de Saúde (11 a 15 de setembro). Segue para Campina Grande no período de 23 a 27 de setembro.

SIM – Criado pelo Ministério da Saúde em 1975 para a obtenção regular de dados sobre mortalidade no país, possibilitou a captação de dados sobre mortalidade, de forma abrangente e confiável, para subsidiar as diversas esferas de gestão na saúde pública. Com base nessas informações, é possível realizar análises de situação, planejamento e avaliação das ações e programas na área. O SIM proporciona a produção de estatísticas de mortalidade e a construção dos principais indicadores de saúde. A análise dessas informações permite estudos não apenas do ponto de vista estatístico e epidemiológico, mas também sócio-demográfico.

Sinasc – Implantado pelo Ministério da Saúde em 1990 com o objetivo de reunir informações epidemiológicas referentes aos nascimentos informados em todo território nacional, apresenta atualmente um número de registros maior do que o publicado pelo IBGE, com base nos dados de Cartório de Registro Civil. Por intermédio desses registros é possível subsidiar as intervenções relacionadas à saúde da mulher e da criança para todos os níveis do Sistema Único de Saúde – SUS, como ações de atenção à gestante e ao recém-nascido. O acompanhamento da evolução das séries históricas do SINASC permite a identificação de prioridades de intervenção, o que contribui para efetiva melhoria do sistema.