João Pessoa
Feed de Notícias

Saúde previne transmissão de Aids e sífilis de mãe para bebê

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009 - 17:06 - Fotos: 
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) promove, a partir das 8h desta terça-feira (15), a ‘Capacitação do Projeto Nascer e teste rápido para diagnóstico do HIV’, para treinar 43 profissionais de seis maternidades e hospitais que já têm o Projeto Nascer e de seis unidades de saúde que implantarão o serviço. O treinamento, que acontece no Netuanah Praia Hotel, em João Pessoa, vai até a próxima sexta-feira (18). Na Paraíba, 23 maternidades e hospitais em 17 municípios possuem o projeto, cujo objetivo é evitar a transmissão vertical (da mãe para o bebê) do HIV e da sífilis.

“Queremos ampliar esse número para que o serviço tenha uma melhor qualidade na assistência às gestantes e parturientes soropositivas, além dos recém-nascidos. A partir do momento em que é concluída a capacitação, as maternidades e hospitais ficam habilitados para executar as ações do Projeto Nascer. Nesse treinamento, vamos contar com a participação de seis municípios que querem implantar o projeto, que são Pombal, Monteiro, Piancó, Princesa Isabel, Caaporã e Itabaiana”, disse Marta Brasileiro, gerente operacional de DST/Aids da SES.

Conteúdo – A capacitação será para médicos, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais e bioquímicos. Além dos municípios que vão implantar o projeto, outros seis que já têm o serviço – Cajazeiras, Sousa, Campina Grande, Guarabira, Esperança e Santa Rita – vão participar do treinamento.

Segundo Marta, estes municípios foram incluídos porque houve mudanças nas equipes. Durante o curso, além de receberem informações sobre o projeto, os profissionais aprendem a fazer o manejo clínico, que inclui a quimioprofilaxia do AZT injetável nas parturientes e AZT xarope nos recém-nascidos.

Prevenção – O Projeto Nascer previne a transmissão vertical do HIV durante a gestação, parto ou período de amamentação, além da sífilis. Para impedir a transmissão do HIV da mãe para o bebê, é necessária a realização do teste para detectar o vírus no primeiro e no terceiro trimestre de gestação. Se o resultado for positivo, a gestante é encaminhada ao Serviço de Assistência Especializado (SAE) e na 14ª semana de gestação inicia o uso de medicamentos antirretrovirais. Nesse caso, recomenda-se o parto cesariano programado.

A mulher que não realizar o teste durante o pré-natal fará o teste rápido na maternidade e se o resultado for positivo, ela recebe o AZT injetável desde o inicio do trabalho de parto até o corte do cordão umbilical. Já o recém-nascido recebe a primeira dose de AZT xarope ainda na sala de parto ou nas primeiras duas horas após o nascimento e continua tomando a medicação durante seis semanas. O aleitamento materno é substituído por um leite em pó especial, disponibilizado pelo Ministério da Saúde, que a criança toma durante os seis primeiros meses de vida.  

Atendimentos – Desde que foi implantado na Paraíba, em 2003, até setembro deste ano, o Projeto Nascer atendeu 264.770 mil mulheres. Dessas, 200.894 mil fizeram o teste rápido de HIV/Aids no momento do parto e 370 tiveram o resultado positivo. No mesmo período, 86.526 mil mulheres fizeram o teste VDRL, que detecta a sífilis, e 1.101 tiveram o resultado positivo.

Maternidades e hospitais com o Projeto Nascer

•    Maternidade do Hospital Universitário Lauro Wanderley (JP)
•    Instituto Cândida Vargas (JP)
•    Instituto Edson Ramalho (JP)
•    Maternidade Frei Damião (JP)
•    Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – Isea (CG)
•    Fundação Assistencial da Paraíba – FAP (CG)
•    Hospital da Clipsi (CG)
•    Maternidade Nossa Senhora da Luz (Guarabira)
•    Hospital Regional de Guarabira
•    Hospital Municipal Padre Alfredo Barbosa (Cabedelo)
•    Fundação Flávio Ribeiro Coutinho (Santa Rita)
•    Maternidade Dr. Peregrino Filho (Patos)
•    Hospital Distrital Manoel Gonçalves Abrantes (Sousa)
•    Hospital Materno Infantil João Marcicano (Bayeux)
•    Hospital Regional de Cajazeiras
•    Hospital Estadual Dr. Francisco Freitas (Solânea)
•    Hospital Municipal Dr. Clóvis Bezerra (Bananeiras)
•    Hospital Distrital Dr. José Gomes da Silva (Itaporanga)
•    Hospital e Maternidade Maria Paulino Lúcio (São Bento)
•    Hospital Municipal Dr. Américo M. Vasconcelos (Catolé do Rocha)
•    Hospital Municipal Ministro Osvaldo Trigueiro (Alagoa Grande)
•    Hospital Regional Dr. Sá Andrade (Sapé)
•    Hospital Maternidade Dr. Manoel Cabral de Andrade (Esperança)

Da Assessoria de Imprensa da SES/PB