Fale Conosco

22 de março de 2017

Saúde participa de abertura nacional dos Cursos de Especialização do Projeto de Apoio ao SUS



A Secretaria de Estado da Saúde (Ses-PB), por meio do Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor-PB), participou, na manhã desta quarta-feira (22), da abertura nacional da 2ª edição dos Cursos de Especialização do Projeto de Apoio ao Sistema Único de Saúde (SUS). Os estudantes e profissionais das Regiões de Saúde do Estado participaram via teleconferência com o Ministério da Saúde e o Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP/HSL), em São Paulo. Em João Pessoa, o evento aconteceu no auditório da Escola de Serviço Público di Estado da Paraíba (Espep).

As temáticas dos cursos abordam a Regulação em Saúde no SUS; Qualidade e Segurança no Cuidado ao Paciente; Gestão de Emergências em Saúde Pública; Processos Educacionais em Saúde; Preceptoria no SUS; e Gestão de Políticas de Saúde Informadas por Evidências. Os cursos, aprovados para o triênio 2015-2017, integram o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS) do Ministério da Saúde. Ao todo, são 11 cursos de especialização, com atividades em mais de cem municípios em regiões de saúde de todos os Estados do país, envolvendo 8800 profissionais de saúde.

“Na Paraíba, são 160 especializandos de 14 municípios (estudantes, trabalhadores da SES e de serviços hospitalares) em seis cursos do Sírio Libanês, em parceria com o Estado, com os municípios e a Universidade Federal da Paraíba. As atividades acontecem de maneira descentralizada, no próprio Estado. O Cefor-PB, enquanto centro referência da educação permanente, apoia e faz parte da comissão gestora desse processo, dando o suporte de infra-estrutura e articulando as indicações dos estudantes”, informou o diretor geral do Cefor-PB, Fernando Lopes.

Os municípios do estado, junto com o Cefor-PB, fizeram as indicações dos estudantes, mas a seleção foi feita pelo Sírio Libanês. “Indicamos além da quantidade de vagas, as pessoas se inscreveram na plataforma online, respondendo vários questionamentos e, de acordo com o desempenho, o histórico do profissional e as respostas, o Sírio selecionou aqueles que vão compor as turmas dos cursos”, explicou Fernando.

Os encontros serão mensais, com três dias consecutivos, nos períodos da manhã, tarde e noite. “Acreditamos muito na metodologia ativa proposta pelo curso, de maneira que não seja apenas uma transferência de informações, mas que todos possam refletir e buscar novos saberes a partir de sua realidade”, disse a gestora de aprendizagem na 1ª Região de Saúde, Janaína Carius de Sá.

Para o chefe do Núcleo de Assistência Farmacêutica (NAF) da SES, Felipe Santos, as temáticas abordadas pelos cursos são de extrema importância para o desenvolvimento do SUS. “Os cursos são muito importantes no sentido de qualificar os trabalhadores e os gestores do SUS no Estado e no Brasil. Enquanto estudantes, estamos participando de um movimento para refletir sobre as práticas e pensar sobre em como avançar no SUS. Vamos, através da troca de experiências, estudar e buscar estratégias de caminhos para transformar a realidade do serviço”, comentou Felipe.

Parceria entre Ministério da Saúde, Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP/HSL), Conselho Nacional de Secretário de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), os Projetos de Apoio ao SUS constituem-se em estratégia para o fortalecimento e consolidação do Sistema Único de Saúde no âmbito do Proadi-SUS.

Sobre o Programa – Para o cumprimento da nova legislação de filantropia, específica para hospitais considerados de excelência e voltados à pesquisa e à capacitação de profissionais, o Ministério da Saúde criou o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS). O Programa possibilita que as entidades de saúde de referência assistencial participem do desenvolvimento do SUS, transferindo tecnologias de gestão e de atenção úteis para serem adaptadas pela rede pública, além de desenvolverem pesquisas de interesse do Sistema Único de Saúde.

Os projetos educacionais são definidos a partir de necessidades identificadas pelos gestores do SUS e executados pelo Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa. São projetos focados em assistência, ensino e pesquisa, englobando estudos de avaliação, incorporação de tecnologias e capacitação de recursos humanos.