Fale Conosco

16 de novembro de 2015

Saúde e MS realizam oficina para jornalistas que vão cobrir os Congressos de HIV/Aids e de Hepatites Virais



A Secretaria de Estado da Saúde (SES) e o Ministério da Saúde realizam nesta segunda-feira (16), às 14h30, a “Oficina de Atualização em HIV-Aids e Hepatites Virais para jornalistas”, seguida de entrevista coletiva, no auditório do Centro Formador de Recursos Humanos – Cefor, na capital. O evento faz parte da programação do 10º Congresso de HIV/Aids e do 3º Congresso de Hepatites Virais, que acontecerão a partir desta terça-feira (17) até sexta-feira (20) no Centro de Convenções, em João Pessoa.

O objetivo da oficina é contribuir na preparação e esclarecimento dos temas aos profissionais de comunicação e estudantes que farão cobertura dos dois congressos que deverão reunir três mil pessoas do Brasil e de todo mundo, entre trabalhadores da saúde, professores universitários, estudantes de pós-graduação e a população chave, a exemplo de usuários vivendo com HIV/Aids ou Hepatites, profissionais do sexo, travestis, transexuais, jovens gays, etc.

Foram disponibilizadas 100 vagas para a oficina, sendo 50 para jornalistas de todas as mídias da região, 30 para assessores das Secretarias e outros órgãos públicos envolvidos no apoio ao evento e 20 para estudantes interessados em participar da cobertura dos congressos.

A oficina será ministrada pelo diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais (DDAHV) do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita, que também é presidente dos Congressos e pelo médico infectologista Evaldo Stanislau, coordenador do Comitê Científico do 3º Congresso de Hepatites Virais. A mediação será feita pelo jornalista e coordenador da Assessoria de Comunicação do DDAHV, Marcelo Oliveira.

Após a oficina sobre Aids e Hepatites, Mesquita e Stanislau apresentarão temas importantes dos dois congressos durante entrevista coletiva, que também terá a participação da coordenadora estadual de DST/Aids e Hepatites Virais da SES, Ivoneide Lucena.

Programa da oficina:

14h30 – Cenário do HIV/Aids no Brasil e no Mundo – Fábio Mesquita

15h00 – Perguntas da plateia

15h10 – Cenário das Hepatites Virais no Brasil e no Mundo – Evaldo Stanislau

15h40 – Perguntas da plateia

15h50 – Destaques do X Congresso de HIV-Aids – Fábio Mesquita

16h10 – Destaques do III Congresso de Hepatites Virais – Evaldo Stanislau

16h30 – Entrevista coletiva – Mesquita, Stanislau e Ivoneide Lucena

O tema “Novos Horizontes, Novas Respostas” norteará os quase cinco dias de atividades dos dois congressos tendo como abordagens os principais tópicos que hoje permeiam as discussões em torno do HIV/Aids e das hepatites virais – entre prevenção, diagnóstico e tratamento.

Os eventos serão abertos, oficialmente, nesta terça-feira (17), às 16h, no Teatro Pedra do Reino, no Centro de Convenções, com as participações do governador Ricardo Coutinho, do ministro da Saúde, Marcelo Castro, e da secretária de Estado da Saúde, Roberta Abath. Logo após o momento solene, terá a conferência “Por que pensar no fim da epidemia em 2030?”, do médico e pesquisador argentino Julio Montaner. Radicado no Canáda, Montaner – um dos grandes ícones da luta contemporânea contra a Aids, por ser criador da estratégia “Tratamento como Prevenção” (“Treatment as key to Prevention”/TasP) – estabeleceu parâmetros novos e revolucionários para as estratégias de enfrentamento ao agravo, com grande repercussão internacional.

A programação completa dos congressos e outras informações podem ser acessadas no portal dos eventos http://aidshvbrasil2015.aids.gov.br/