Fale Conosco

4 de fevereiro de 2014

Saúde divulga primeiro boletim da dengue de 2014 e novas formas de classificar a doença



No período de 1º a 31 de janeiro de 2014, foram notificados 180 casos suspeitos de dengue na Paraíba com 50 já descartados e os demais em aberto. Os números foram divulgados nesta terça-feira (4) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde (GEVS), acrescentando que não houve nenhum caso de dengue grave, no entanto foi registrado um óbito de um homem de 27 anos em Patos.

O caso está sendo investigado, de acordo com o protocolo do Ministério da Saúde. O Estado segue monitorando e acompanhando toda notificação de caso que evolua ao óbito para que o município desencadeie os bloqueios e ações necessárias”, declarou Talita Tavares, gerente executiva da Vigilância em Saúde.

De 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2013, foram notificados 17.585 casos suspeitos de dengue na Paraíba com 4.173 descartados, 8.119 confirmados, 127 casos graves e 5.166 inconclusivos. Em relação ao número de notificações em igual período do ano de 2012, foi observado um aumento de 52,3% (11.543 notificações). Em 2013, foram registrados 15 óbitos em todo estado – Arara, Aguiar, Conde, Casserengue, Pitimbu, Salgado de São Félix e Santa Rita (um em cada), Campina Grande (3) e João Pessoa (5).

Mudanças nas formas de classificação – Para 2014 o Ministério alterou a definição de caso suspeito para dengue. Agora é considerado caso suspeito toda pessoa que viva ou tenha viajado nos últimos 14 dias para área onde esteja ocorrendo transmissão de dengue ou tenha a presença do Aedes Aegypti, que apresentar febre, usualmente entre 2 a 7 dias, e apresente duas ou mais das seguintes manifestações: náusea, vômitos, exantema (erupção geralmente avermelhada que aparece na pele), dor muscular, dor nas articulações, dor de cabeça, dor no fundo dos olhos; prova do laço positiva; leucopenia (redução dos glóbulos brancos no sangue).

O MS considera ainda, a partir de 2014, como caso suspeito toda criança proveniente ou residente em área com transmissão de dengue, com quadro febril agudo, usualmente entre 2 a 7 dias, e sem foco de infecção aparente. “A Secretaria, através da GEVS, vem trabalhando com todas as Gerências Regionais de Saúde e municípios para que essas informações cheguem aos profissionais da assistência para melhor definir os casos e assim notificá-los”, explicou Talita.

Também houve mudança no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), onde muitos dos municípios operacionalizavam o Sinan Net e agora o MS determinou a utilização do Sinan Online com prazo de implantação até o dia 28 de fevereiro.

Talita Tavares informou ainda que o Ministério preconiza a realização de, no mínimo, quatro ciclos bimestrais de visitas domiciliares nos municípios, sendo indicada a cobertura de 100%, perfazendo um total de seis ciclos. O MS recomenda, ainda, que antes de iniciar o 1º, 2º e 4º ciclos (janeiro, março e outubro), seja realizado o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) ou Levantamento de Índice Amostral (LIA). Isso possibilita um diagnóstico inicial para nortear as ações de campo e o processo de trabalho.

De 1º a 31 de janeiro, 83 municípios já realizaram esse levantamento. Os demais estão em fase de conclusão, uma vez que o MS determina que todos os municípios estejam concluindo seus índices até o final da 1ª quinzena de fevereiro. Dos municípios que já concluíram seus trabalhos, 20 (24,1%) estão com Índice de Infestação Satisfatório; 38 municípios (45,7%) com Índice de Infestação em Alerta; e 25 municípios (30,1%) com índice de Infestação em Risco.

O Estado vem trabalhando e apoiando todos os municípios na elaboração e execução dos seus Planos de Contingência, uma importante ferramenta para o planejamento das ações a serem executadas durante todo o ano.

De acordo com as ações programadas para 2014, no dia 18 de fevereiro terá reunião em Cajazeiras, com 15 municípios da 9ª Gerência Regional de Saúde; no dia 19 será em Sousa com 25 municípios das 8ª e 10ª GRS; no dia 24 será em Patos, reunindo 24 municípios da 6ª GRS e no dia 25, 19 municípios das 7ª e 11ª GRS serão reunidos, novamente, em Patos. Para as demais Gerências o manejo clínico será realizado no mês de março, com programação a ser definida.