Fale Conosco

4 de maio de 2015

Saúde divulga boletim da dengue, chikungunya e orienta sobre notificações de manchas avermelhadas



A Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgou o boletim epidemiológico nº 4, referente ao período de 1º de janeiro a 27 de abril de 2015 (17ª semana epidemiológica).  Até o momento, não há nenhum caso confirmado da febre chikungunya. Foram notificados 6.052 casos suspeitos de dengue, sendo 641 descartados.

No que diz respeito à dengue, houve aumento de 3.564 casos, em relação ao boletim anterior. Tal situação pode estar associada à infestação do mosquito. Cento e sete municípios estão em estado de alerta e 70 em risco de epidemia. “Apesar do aumento no número de casos, a incidência da doença registrada na Paraíba está dentro do esperado, de acordo com o plano de contingência da dengue, da SES”, esclareceu a gerente executiva de Vigilância em Saúde, Renata Nóbrega.

Quanto aos óbitos por dengue, de acordo com o boletim, em 2015 foi confirmado uma morte, no município de Alhandra e seis estão sendo investigadas. Em 2014, foram registrados quatro óbitos por dengue. A SES recomenda às secretarias municipais de Saúde o alerta de manter a rede atenta para o diagnóstico precoce da doença e o manejo correto para que os óbitos sejam evitados.

Febre Chikungunya – Na Paraíba, até a 17ª semana epidemiológica, foram notificados seis casos suspeitos da doença, nos municípios de Pombal (1), Alhandra (1), Campina Grande (1), Umbuzeiro (2), Coremas (1), sendo cinco descartados e um caso em investigação aguardando resultado.

A SES informa que todo caso suspeito de Chikungunya é de notificação compulsória imediata e deve ser informado em até 24 horas às esferas municipal, estadual e federal. Para a notificação seguem os contatos da Secretaria: 0800-281-0023/ 3218-7331/ 8828-2522.

 

Síndrome exantemática – A Secretaria de Estado da Saúde orienta os municípios para que todos os casos de manchas avermelhadas (exantema), com ou sem febre, acompanhado ou não de outros sintomas, sejam notificados como casos suspeitos de dengue e no campo de observação da ficha o profissional deverá escrever, impreterivelmente, ‘EXANTEMA A ESCLARECER’.