João Pessoa
Feed de Notícias

Saúde divulga ações do Estado em Congressos Internacionais de HIV/Aids e Hepatites Virais

quarta-feira, 18 de novembro de 2015 - 17:05 - Fotos: 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB) está com um stand montado no X Congresso de HIV/Aids e III Congresso de Hepatites Virais, na chamada Vila Social, para divulgar as ações e serviços de saúde do Estado relacionados aos temas centrais dos eventos. Entre as atividades, está a distribuição de folhetos informativos, material educativo, além de orientação sobre os serviços da rede de saúde estadual para os congressistas. Os Congressos, que seguem simultaneamente até esta sexta-feira (20), no Centro de Convenções  de João Pessoa, estão sendo organizados pelo Ministério da Saúde, em parceria com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde.

“A resposta do público que está participando dos Congressos é muito interessante e extremamente positiva. Recebemos elogios sobre a organização e sobre a qualidade das informações que estão sendo repassadas. O evento está muito bem prestigiado e nossas expectativas continuam ótimas, sobretudo pelo destaque da Paraíba sediar um projeto de grande porte como este”, destacou a coordenadora estadual de DST/Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), Ivoneide Lucena.

Além dos profissionais de saúde e equipe técnica da Secretaria de Saúde, o stand da SES-PB contou também com a participação de uma equipe de profissionais da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (Semdh). “Infelizmente, a parcela LGBT da população ainda é muito atingida pelo vírus HIV. Muitas travestis, por exemplo, trabalham com a prostituição e às vezes a relação desprotegida é uma exigência dos clientes, tornando este grupo mais vulnerável à doença”, disse a gerente executiva de Direitos Sexuais e LGBT da Semdh, Roberta Schultz.

Ela informou ainda que, durante os dias de Congresso, a missão da equipe é divulgar o trabalho realizado no Centro de Referência dos Direitos de LGBT e Enfrentamento à Homofobia no Estado da Paraíba, mais uma ação do Governo do Estado. “Nessa troca de experiências, falamos aos congressistas também sobre o Ambulatório de Saúde para Travestis e Transsexuais, o primeiro concebido no Nordeste que é referência nacional”, pontuou Roberta.

Posto Médico – Para assegurar um atendimento médico humanizado e uma assistência adequada para os participantes do X Congresso de HIV/Aids e do III Congresso de Hepatites Virais que necessitarem passar por alguma avaliação, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Complexo Hospitalar Clementino Fraga, organizou um posto médico com toda a estrutura necessária com equipes de saúde e equipamentos hospitalares. Até a manhã desta quarta-feira (18) a equipe realizou 25 atendimentos.

“Até então os atendimentos foram tranquilos, nada que fuja da normalidade no funcionamento. São queixas de dor de cabeça, mal estar, indisposição, dor de estômago. Os  pacientes são medicados, orientados e, se necessário, uma receita médica é repassada”, informou a assessora técnica da Vigilância em Saúde da SES-PB, Bernadete Moreira. A equipe do Posto Médico é formada por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e profissionais de apoio.

O presidente do Movimento Social RNP+Sol, do município de Araraquara (SP), precisou ser atendido e elogiou o serviço. “Senti dores do lado esquerdo do corpo, sonolência, respiração curta e os pés dormentes. Fiquei preocupado e logo me encaminharam para o posto médico. Fui prontamente atendido, examinado e agora, medicado, já estou bem melhor”, comentou.

Estúdio de tatuagem – Outra novidade na Vila Social dos Congressos é a presença de um estúdio de tatuagem. Vários congressistas estão procurando o serviço que alia arte aos cuidados com a saúde. “Ainda existe um mito de que fazer uma tatuagem pode trazer doenças. Estamos aqui para provar que a arte sendo feita com profissionais responsáveis, materiais descartáveis e de qualidade, a tatuagem não traz nenhum risco à saúde”, disse o representante da empresa Eletric Ink, Hermes Junior.

A enfermeira Catarine Leôncio aproveitou a oportunidade para eternizar o nome da filha com uma tatuagem na perna. “Sempre quis fazer uma tatuagem e hoje eu quis concretizar esse sonho. Achei muito interessante a ideia de colocar um stand de tatuagem no congresso porque é uma arte que está cada dia mais valorizada e que, com segurança, não faz mal algum à saúde”, afirmou.

Saiba mais – Os congressos visam mostrar novas tecnologias, pesquisas, medicamentos e boas práticas na prevenção e na resposta ao HIV/Aids e às Hepatites Virais. “É uma excelente oportunidade de troca de experiências entre profissionais e estudantes das áreas de saúde e educação, além da participação da população. Vários órgãos do Governo do Estado firmaram parceria com o evento”, afirmou a coordenadora estadual de DST/Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), Ivoneide Lucena.

É a primeira vez que a Paraíba sedia os eventos e eles contam com a participação de mais de quatro mil pessoas do Brasil e de todo o mundo, entre trabalhadores da saúde, professores universitários e estudantes de pós-graduação.

Programação - Nesta quarta-feira (18), os trabalhos foram iniciados às 8h, com apresentação de diversas experiências e práticas bem-sucedidas no Brasil; dos programas de HIV/Aids em países de língua portuguesa (Angola, Brasil, Moçambique), com o apoio dos Estados Unidos à Cooperação Sul-Sul; eliminação da transmissão vertical do HIV; prevenção combinada no contexto brasileiro e internacional; mídias digitais e a resposta ao HIV/Aids; apresentação de trabalhos orais; bate-papo: Aids, doença e morte no passado e a visão da juventude nos dias atuais; lançamento do livro “Histórias da Aids no Brasil de 1983 a 2003”.

Na quinta-feira (19), a partir das 8h, serão apresentadas experiências no cuidado com hepatites virais em populações remanescentes de quilombos; em indígenas; em população privada de liberdade; tratamento da hepatite B; saúde sexual e reprodutiva em pessoas vivendo com HIV/Aids; olhares da juventude: protagonismo juvenil; protagonismo trans, processo transexualizador e atenção em HIV/Aids; visitação de posters; novos desafios em hepatite C; testes rápidos: da capacitação à realização e lançamento do livro “A Síndrome: Histórias de luta contra a Aids em 30 anos” e um bate-papo sobre o viver com HIV/Aids, ontem, hoje e o amanhã.

Na sexta (20), às 8h, continuam as apresentações das experiências e práticas bem-sucedidas no Brasil, a exemplo, de testagem do HIV para homens que fazem sexo com homens; políticas públicas intersetoriais e contribuições para boas práticas na prevenção; população trans e o acesso ao cuidado; eliminação da hepatite C como problema de saúde pública; transplante hepático; “Educação, prevenção e redes sociais combinam?”; Saúde da Mulher Lésbica e Bissexual no Brasil: Avanços e desafios e a importância da mídia na prevenção das hepatites virais. O encerramento dos eventos será às 16h.