João Pessoa
Feed de Notícias

Saúde discute estratégias de trabalho com coordenadores de imunização

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015 - 18:22 - Fotos: 

Programar as ações de 2015 e avaliar o trabalho realizado no ano passado são alguns dos objetivos do primeiro encontro, promovido pelo Núcleo de Imunização, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), nesta terça-feira (10), no Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor), das 8h30 às 17 h, entre os gerentes regionais de saúde; coordenadores regionais de imunização; representantes da Atenção Básica e da Linha de Cuidado de Saúde da Criança e Adolescente; Centro de Referência em Imunobiológicos Especiais e gerentes operacionais de vigilância epidemiológica.

De acordo com a programação, haverá apresentação do Procedimento Operacional Padrão (POP), do Núcleo de Imunização; da Rede de Frio (parte operacional e técnica);
cobertura vacinal e Sistema Nacional do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) e entrega de material.

Segundo a chefe do Núcleo de Imunização, da SES, Isiane Queiroga, 2014 foi um ano de muitos avanços. “Adquirimos muitos materiais, tanto para a sede, quanto para as gerências, equipando e reestruturando as redes de frio e fortalecemos o sistema de informação (SI-PNI), ao qual já aderiram 169 municípios paraibanos. Por meio deste sistema, é possível organizar e fiscalizar as ações e controle de estoque”, explicou.

Isiane pontuou ainda que o material que será entregue foi adquirido pela SES. “Serão entregues caixas térmicas (que acondicionam as vacinas) para as gerências; termômetros a laser, para a verificação da temperatura das caixas; termômetros digitais para as salas de vacinas de todos os municípios do estado e para as gerências”, disse.

Para 2015, o foco do Núcleo de Imunização será nas redes de frio (da sede e das gerências regionais) e no fortalecimento do monitoramento dos eventos adversos pós-vacinais em todo Estado, mantendo as coberturas vacinais.

“Vamos monitorar as reações fora da normalidade que podem acontecer após a vacinação, a exemplo de tipos de convulsão e febre alta”, afirmou Isiane Queiroga. Ela disse ainda que, em 2015 não existe previsão de implantação de novas vacinas. “Em 2013/2014 tivemos a implantação de quatro vacinas (Tetra-Viral, Hepatite A para crianças, DTP Acelular para gestantes e a HPV para adolescentes). Neste ano, a previsão que temos é que a vacina Meningo C, que já é ministrada em crianças menores de dois anos, seja reforçada aos nove anos”, concluiu.