Fale Conosco

15 de junho de 2009

Saúde coleta sangue para aumentar cadastro de doadores de medula óssea



A Paraíba tem apenas 2,5 mil pessoas cadastradas como doadoras voluntárias de medula óssea e a probabilidade de encontrar um doador compatível é de uma para 100 mil. Com o objetivo de aumentar as chances de quem precisa de transplante, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), através do Hemocentro da Paraíba, está visitando empresas privadas e órgãos públicos para sensibilizar e conquistar mais doadores. Nesta segunda-feira, foi feita coleta de sangue para esse cadastro na Faculdade de Ciências Médicas, no Centro de João Pessoa. 

O Laboratório de Biologia Molecular do Hemocentro é responsável por esse serviço. A coordenadora do órgão, Rosineide Soares Ribeiro Pontes, explicou que 56 alunos do Curso de Medicina se dispuseram a fazer a coleta do sangue. “Esse material será submetido a exames e a pessoa cadastrada automaticamente em um banco de dados nacional”, disse.

Ela lembrou que a quantidade de sangue coletado é de apenas 5ml, que passa por exame de HLA e identifica a tipagem genética da medula óssea. Dentro de no máximo uma semana será possível identificar se a pessoa que fez a doação de sangue é compatível com alguém que está esperando por um transplante.

Probabilidade – Rosineide Pontes explicou que as chances de que ocorra um caso de compatibilidade são de uma pessoa para cada 100 mil. “Daí a necessidade de sensibilizar a sociedade sobre a importância de se tornar um doador voluntário para o transplante de medula óssea”, completou a coordenadora.

Caso seja comprovada a compatilibidade, o doador voluntário é convocado a comparecer ao Hemocentro para a realização do transplante. Todos os procedimentos são pagos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e o doador receberá toda a assistência necessária. A cirurgia para o transplante é feita no Hospital Português, em Recife (PE).

O que fazer – Rosineide Pontes disse que a cada dia aparecem novos pacientes necessitando de transplantes. São pessoas com leucemia, linfomas, alguns tipos de anemia, dentre outras doenças. Pode ser doador a pessoa com idade entre 18 e 55 anos e que esteja gozando de boa saúde. As pessoas interessadas em se tornarem doadores voluntários de medula óssea podem comparecer ao Hemocentro da Paraíba, na Avenida Dom Pedro II, Torre, na Capital, às segundas, terças e quartas-feiras, das 7h às 17h, para fazer a coleta do sangue.

A medula é um tecido líquido que ocupa o interior dos ossos, sendo conhecida popularmente por ‘tutano’. Na medula óssea são produzidos os componentes do sangue: as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. As hemácias transportam o oxigênio dos pulmões para as células do organismo. Os leucócitos são os agentes mais importantes do sistema de defesa do organismo humano e as plaquetas compõem o sistema de coagulação do sangue.

Assessoria de Imprensa da SES/PB