Fale Conosco

1 de setembro de 2009

Saúde capacita agentes de pastorais sobre diagnóstico precoce da Aids



A Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Ministério da Saúde e a Prefeitura de João Pessoa, realiza nestas quarta (2) e quinta-feira (3) uma capacitação sobre doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e Aids para 100 agentes das pastorais da Saúde,  da Criança e da Aids, ligadas à Igreja Católica. O treinamento é uma preparação para uma campanha de incentivo ao diagnóstico precoce do HIV, que acontecerá em outubro em seis capitais brasileiras.

A metodologia e os temas que serão enfocados foram discutidos na tarde desta terça-feira (1º), numa reunião no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de João Pessoa, entre a gerente operacional das DST/Aids da SES, Marta Brasileiro e de representantes do Ministério da Saúde e do município de João Pessoa.

O treinamento, que terá a participação das técnicas Departamento Nacional das DST/Aids, Cathana Oliveira e Cláudia Ribeiro, acontecerá das 08h30 às 17h, na Igreja Santa Júlia, no bairro da Torre, em João Pessoa. Além de João Pessoa, estão sendo treinados agentes de Manaus, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre e Rio de Janeiro, onde a campanha de incentivo ao diagnóstico da Aids será realizada.

Diagnóstico – Depois de capacitados, esses agentes irão atuar em suas comunidades de bases e durante as reuniões irão falar sobre as DST/Aids, orientar e conscientizar as pessoas sobre a importância de se fazer o diagnóstico precoce do HIV por meio do teste rápido. Além dos agentes, o trabalho será reforçado pelos padres durante as celebrações. “Quando as pessoas descobrem tardiamente o vírus da Aids, a doença já está manifestada, dificultando o tratamento e provocando a morte de 50% dos soropositivos”, disse Marta Brasileiro.

De acordo com ela, a grande barreira enfrentada hoje para conscientizar as pessoas a fazerem o diagnóstico precoce do HIV é o preconceito. Ela disse que qualquer pessoa pode procurar os serviços especializados para fazer o teste rápido. “A partir de outubro, quando a campanha for lançada, esperamos que a demanda aumente nesses locais”, completou.

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde, desde 1985, quando a Paraíba registrou o primeiro caso de Aids, até julho deste ano, foram notificados 3.152 casos da doença sendo 3.080 em adultos e 72 em crianças. Ainda segundo a SES, 2.190 casos foram diagnosticados em homens e 962 em mulheres.

A campanha – A campanha de incentivo ao diagnóstico precoce do HIV por meio do teste rápido surgiu a partir das reflexões feitas no VII Seminário Nacional de Prevenção, ocorrido em outubro do ano passado, em Brasília pela Pastoral da Aids da Confederação Nacional dos Bispos Brasileiros (CNBB). No documento elaborado durante o encontro e baseado em dados estatísticos, percebeu-se a importância da realização de uma campanha sobre o assunto.

De acordo com o documento elaborado pela Pastoral da Aids, quase 50% do diagnóstico do HIV é tardio, ou seja, o vírus é descoberto quando a pessoa já apresenta sintomas da doença o que dificulta o tratamento. Além disso, o diagnóstico tardio aumenta o custo do tratamento, levando-se em conta também as dificuldades para a família do paciente, as fragilidades físicas que a doença causa, o sofrimento, o desemprego e discriminação e até a morte do soropositivo.

De acordo com Cathana Oliveira, técnica do Departamento Nacional das DST/AIDS, o Ministério da Saúde e a CNBB decidiram que esses seis Estados servirão como projeto-piloto para a campanha.
 

Da Assessoria de Imprensa da SES-PB