João Pessoa
Feed de Notícias

Saúde apresenta as ações executadas do programa Vida no Trânsito

segunda-feira, 12 de setembro de 2016 - 18:18 - Fotos:  Ricardo Puppe/Secom Pb

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB) apresentou, na manhã desta segunda-feira (12), no auditório da Escola Superior de Magistratura da Paraíba (Esma), as ações integradas do programa Vida no Trânsito ao Comitê Estadual do Fórum da Judicialização da Saúde. A reunião foi presidida pelo juiz Marcos Coelho Salles.

De acordo com a secretária estadual de Saúde, Roberta Abath, é preciso que os órgãos públicos unam esforços para diminuir o número de acidentes de trânsito. “Todo evento traumático em menor ou maior grau é passível de prevenção e é necessário que estejamos firmes no propósito de mudar a situação do Estado. Os acidentes de trânsito são uma epidemia da atualidade e quando se fala em trauma por motocicletas, principalmente, podemos estar diante do que venha a ser um dos maiores problemas de saúde pública do país”, alertou.

Para ela, a população economicamente ativa do país começa a ser abalada, não pela mortalidade, em si, mas pelas sequelas deixadas nas vítimas dos acidentes de trânsito. “A palavra de ordem é atitude. O custo social e emocional para as vítimas de acidentes de trânsito e suas famílias é incalculável. As estratégias devem ser estabelecidas de maneira intersetorial o quanto antes para que, futuramente, não tenhamos que lamentar um problema maior a nível econômico e social”, explanou Roberta Abath.

Dados – Na oportunidade, a Gerência de Vigilância em Saúde apresentou os dados de acidentes de trânsito no Estado. “Alguns números chamam bastante atenção. Por exemplo, 84% das pessoas que morrem em acidentes de trânsito são do sexo masculino. A faixa etária mais acometida nos óbitos está entre 20 a 29 anos. Se faz necessária uma estratégia pontual e eficaz de educação para este público específico”, observou a gerente de Vigilância em Saúde, Renata Nóbrega.

A gerente executiva pontuou, ainda, ações integradas já realizadas pelo Comitê em vias movimentadas da capital paraibana, shoppings centeres, Terminal Rodoviário e casas de shows. “Nessas ações, além da fiscalização, enfatizamos a importância da educação: uso da faixa de pedestres, cinto de segurança, capacetes. Nosso próximo passo é implantar uma ficha de notificação dos acidentes de trânsito ainda em setembro, para termos dados mais precisos, tendo como foco a redução expressiva do número de acidentes”, adiantou.
O presidente do Comitê de Judicialização da Saúde e representante do Conselho Nacional de Justiça, o juiz Marcos Sales, pontuou que a problemática dos acidentes de trânsito envolve todos os setores, mas a educação é a base. “Não se trata de uma campanha, mas de um princípio. A missão é salvar vidas e este é um dever de todos. Não podemos mais admitir que vidas sejam ceifadas, tendo a consciência de que os acidentes poderiam ter sido evitados”, disse ele.

O superintendente do Detran-PB, Agamenon Vieira, também pontuou que a educação no trânsito é essencial para diminuir o número de casos de acidentes. “Mais do que respeitar a lei, é importante lembrar o respeito à vida. A população precisa estar consciente de que não é apenas o valor da multa, da carteira de habilitação apreendida, mas as sequelas físicas e emocionais que o acidente pode causar, muitas delas irreversíveis”, afirmou.

Projeto Vida no Trânsito – Lançado no ano de 2011, o projeto Vida no Trânsito, coordenado pelo Ministério da Saúde, é um programa permanente do Governo Federal junto às cidades brasileiras onde o trânsito já é municipalizado.

O Vida no Trânsito desenvolve ações de parceria com as prefeituras locais, órgãos de trânsito, secretarias de Saúde e Educação, Detran, entre outros órgãos, no sentido de coletar dados para diagnosticar e propor campanhas com foco na redução do número de acidentes.

O projeto foi constituído em várias etapas: primeiramente com a formação de parcerias entre a União, o Estado e o Município, estabelecimento das equipes, coleta, gestão e análise de dados; posteriormente com as ações integradas, o monitoramento e a avaliação das decisões tomadas. Por meio destes dados é possível gerar ações de fiscalização e educação de trânsito, bem como encaminhar solicitações para que os órgãos competentes possam analisar e melhorar a sinalização e a mobilidade urbana.

As ações integradas envolvem os membros do Comitê Operativo de Monitoramento e Vigilância de Acidentes de Trânsito, do qual participam a Secretaria de Estado de Saúde (SES-PB); Secretaria de Estado da Educação,Secretaria de Estado de Segurança Pública – Polícia Civil, Departamento Estadual de Trânsito  (Detran-PB),Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran/Polícia Militar),Departamento de Estradas e Rodagens (DER/PB),Resgate do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba, Polícia Rodoviária Federal,Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob/JP),Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu/JP), Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa-PB,ONG Andrae – Associação Nordestina de Resgate e Administração de Emergências.