João Pessoa
Feed de Notícias

Salão Internacional do Livro tem palestras de Férrez, Mário Prata e Fabrício Carpinejar

segunda-feira, 22 de novembro de 2010 - 14:12 - Fotos: 
O que fazem e pensam os escritores Ferréz, Fabrício Carpinejar e Mário Prata? As respostas, dadas pelos próprios autores, foram ouvidas na tarde e noite de domingo (21), no Teatro de Arena do Espaço Cultural José Lins do Rego, pelo público que esteve presente aos três respectivos módulos de palestras interativas do I Salão Internacional do Livro da Paraíba, a saber: Fique Ligado, apresentado por Agda Aquino; Poética da Palavra e Café com Letras, coordenados por Linaldo Guedes.

A palestra de Ferréz, com o tema ‘Hip-hop e a Literatura na Periferia’, foi a mais contundente, pois trouxe à tona não só a difícil trajetória do autor, que mora em uma comunidade pobre de São Paulo (SP), como também o drama diário, principalmente de crianças e jovens pobres, de quem vive na periferia das grandes cidades. “Se eu trombar com a Polícia Civil na cidade de São Paulo, sou um homem morto”, revelou Ferréz.

Ele explicou como era viver uma vida dupla antes de ganhar fama como um dos mais importantes nomes da chamada ‘literatura marginal’ brasileira, com um estilo influenciado pela variante lingüística falada na periferia da capital paulista, pois trabalhava de dia como pedreiro ou faxineiro de hotel e, à noite, por exemplo, participava de programas de televisão com astros como o cantor e apresentador Ronnie Von.

Ferréz é autor, entre outros livros, de Fortaleza da Desilusão (1997), Capão Pecado (2005), Amanhecer Esmeralda (2005) e Ninguém É Inocente em São Paulo (2006). É fundador do 1DaSul, grupo interessado em promover eventos e ações culturais na região do Capão Redondo, ligados ao movimento hip-hop, e comanda um quadro próprio no programa de entrevistas ‘Manos e Minas’ da TV Cultura, chamado ‘Interferência’, com ênfase no rap.

Na estreia de Poética da Palavra, Fabrício Carpinejar, literalmente, roubou a cena. O poeta, dono de um estilo eloquente e irreverente e um ‘modo pop’ de se vestir, iniciou sua participação no módulo provocando a plateia, ao instigar as pessoas a repetir em voz alta, ou seja, libertando-se de seus medos ou timidez, palavras dos versos lidos. Carpinejar é sua própria poesia. Nela ele se revela por inteiro, mas impõe este ato libertador também ao público.

Carpinejar provoca escândalos e risadas. Ataca o machismo de frente, mostrando que isso é um defeito ou uma covardia inerente aos homens, e não uma postura que surge a partir da mulher. Mas não coloca todos os problemas do mundo no “outro”, assumindo suas próprias responsabilidades e fraquezas, quando o assunto é, por exemplo, as relações amorosas. “Lá em casa quem manda sou eu, e minha mulher manda em mim”, brincou.

Mário Prata tem um estilo mais comedido. O autor permeia suas palestras com tiradas de humor, mas quem baixa a guarda recebe sempre uma boa estocada, pois ele também sabe ser muito irônico e ferino. O escritor revelou que estava há cinco anos sem participar de lançamentos de livros, e que agora dedica-se exclusivamente ao romance policial. Desmistificou o trabalho do escritor, e comentou detalhes do seu processo criativo.

Programação desta terça-feira

O módulo Sarau Paraibano, apresentado por Linaldo Guedes, será aberto, no Teatro de Arena, às 10h, com uma palestra da escritora Balila Palmeira, com o tema ‘Os Teatros da Paraíba’. Em seguida, o escritor Joacil de Brito Pereira abordará o tema “O Livro na História’.

O convidado do Fique Ligado, às 15h, com apresentação de Agda Aquino, Jairo Rangel, da União Brasileira de Trovadores e do núcleo paraibano da Academia de Letras e Artes do Nordeste, que abordará o tema ‘Raquel de Queiroz’.

A estrela do Poética da Palavra, às 17h, no Teatro de Arena, sob o comando de Linaldo Guedes, é o cantor, compositor e escritor Arnaldo Antunes.

Já o Café com Letras, às 19h30, no Teatro de Arena, também com apresentação de Linaldo Guedes, é a escritora, jornalista e membro da Academia Brasileira de Letras, Nélida Piñon.

O I Salão Internacional do Livro da Paraíba é promovido pelo Governo do Estado, Sebrae e Associação Nacional de Livrarias (ANL), com apoio cultural do Ministério da Cultura (MinC), Bibliotecas Braille & Comunitárias, Academia Paraibana de Letras (APL), Fundação Bradesco e Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Serviço
Evento: I Salão Internacional do Livro da Paraíba
Data: 20 a 28 de novembro de 2010
Horário: Das 10h às 22h
Local: Fundação Espaço Cultural da Paraíba
Entrada: Grátis