Fale Conosco

23 de junho de 2009

Salão do Artesanato com quase 4.300 expositores atrai turistas



Com a participação de 4.290 artesãos procedentes de 96 municípios, o 10º Salão de Artesanato, que acontece em Campina Grande até o final da próxima semana, já pode ser contabilizado como um dos que mais atraiu turistas e compradores, ajudando a fechar novos negócios que devem atingir R$ 1 milhão em vendas. A expectativa é o dos organizadores do evento, levando em conta as mais de 45 mil pessoas que passaram pelas dependências do Campina Auto Shopping até agora.

A gestora do Programa de Artesanato da Paraíba, Marielza Targino de Araujo, destacou que o Salão de Artesanato está sendo uma grande oportunidade para quem está comercializado produtos e faz contatos com outros mercados. Este ano, os organizadores decidiram homenagear os artesãos de Cajazeiras que trabalham com barro, e criar um ambiente que leva as pessoas a refletirem acerca da preservação ambiental, de modo particular do semi-árido nordestino. “O Programa de Artesanato Paraibano se preocupa com a gestão ambiental”, disse.

Incrementando o turismo – Segundo ela, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas na Paraíba (Sebrae-PB) “é o grande parceiro na realização deste Salão, junto com outros que também estão dando uma importante contribuição”. Destacou que, desde sua inauguração, o evento comercial tem sido visitado por turistas que estão em Campina Grande para participar do ‘Maior São João do Mundo’.

É o caso de Paula Carvalho, que para em Fortaleza (CE) e passa os festejos juninos com familiares na cidade de Esperança. Ela ficou surpresa com a qualidade dos produtos expostos. “Morando em Fortaleza, mantemos contatos com bons artesãos, mas os da Paraíba são bem melhores e de excelente qualidade”, afirmou a visitante.

Sucesso – A gestora de Projetos de Artesanato do Sebrae na Paraíba, Verônica Ribeiro, disse que o 10º Salão de Artesanato já pode ser considerado um sucesso e todos esperam que se atinja a cifra de R$ 1 milhão em vendas até o final deste mês.

Cada artesão tem uma história diferente para contar. Dimas Matias trabalha com artesanato de madeira, fabricando miniaturas de carros e brinquedos populares. Com a ajuda do Governo do Estado e do Sebrae-PB, ele foi orientado a melhorar a qualidade do produto para conquistar novos mercados, e mais do que isso o seu reconhecimento como profissional. “Tenho orgulho de dizer que sou artesão e sobrevivo desta atividade”, revelou.

Participando dos salões de artesanato desde o primeiro, a artesã Maria José do Nascimento (Mestra Zefinha), da Associação Traçado de Pitimbu (PB), disse que nesses eventos é possível manter contatos com outras pessoas e também aproveitar para vender seus produtos. No Salão também tem um espaço dedicado à gastronomia regional, que atrai muita gente para se deliciar com a variedade de comidas típicas.

José Nunes, com fotos de Antônio David, da Secom-PB