João Pessoa
Feed de Notícias

Ruy enaltece técnicos no fortalecimento da agricultura

sexta-feira, 12 de março de 2010 - 14:11 - Fotos: 
“A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater-PB) é o braço direito do Estado na agricultura”, afirmou o secretário do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Ruy Bezerra Cavalcanti, durante reunião do Conselho Técnico Administrativo da Emater, que aconteceu, nesta quinta-feira (11), na sede da empresa, na estrada de Cabedelo.

De acordo com Ruy Bezerra, o empenho da Emater-PB, seguindo orientações do Governo do Estado, por meio da Sedap, está sendo decisivo para combater a praga da mosca negra dos citros. “A Emater por estar presente em todos os municípios da Paraíba é a empresa que consegue atender plenamente o agricultor. Para controlar a mosca negra, ela capacitou 50 técnicos na identificação da praga, 36 engenheiros agrônomos para emissão do Certificado Fitossanitário de Origem (CFO), está participando efetivamente na formação de 120 pessoas aptas a usar o defensivo. Enfim, a Emater é parceira constante em todas as ações da agricultura no Estado” destacou.

Para evitar que a mosca negra se alastre, teve início esta semana, nos 17 municípios infestados, o controle químico por meio de aplicação de inseticidas. Serão disponibilizados, nesta primeira etapa de pulverização, dois mil litros do produto Provado 200SC, do laboratório Bayer S.A, de São Paulo, indicado pelo Ministério da Agricultura para combater a praga. Segundo o presidente da Emater, Hermano Araújo, o agroquímico deverá ser aplicado três vezes em cada propriedade no período de 21 dias, entre uma aplicação e outra na quantidade de 20 mililitros para cada 100 litros de água.

O diretor Técnico da Emater-PB, Waltemir Cartaxo, vem acompanhando de perto as ações realizadas pela empresa nos municípios e relata que a mesma vem envidando esforços para controlar a praga para que os produtores voltem a comercializar a produção.

Ruy lembra, ainda, que no estágio que a Paraíba se encontra só o controle químico será efetivo. Contudo, depois do controle da praga será estudada a forma de usar o controle biológico, que pode ser de duas maneiras: por meio dos predadores e dos parasitas. “Por meio de parcerias, realizadas com a Universidade Federal da Paraíba e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), estamos produzindo predadores e parasitas para que a natureza possa controlar esse desequilíbrio ambiental” disse.

O secretário da Sedap assegura que o agricultor que possui seu produto com todos os documentos, o CFO e Permissão de Trânsito Vegetal (PTV) pode transitar sem nenhum problema por outros estados e municípios. Ele acrescenta, ainda, que é preciso aprender a conviver com a mosca negra dos citros. “Essa praga chegou e ela não vai sair daqui. São Paulo, por exemplo, convive com essa praga e com uma pior que é a grim, e é o maior produtor e exportador de citros do País”, ressaltou Ruy acrescentando que é possível conviver com a praga e ter rentabilidade na atividade da citricultura.   

Da Assessoria de Imprensa da Emater-PB