João Pessoa
Feed de Notícias

Ricardo prestigia lançamento de documentário sobre Pedro Osmar

sexta-feira, 18 de novembro de 2016 - 09:57 - Fotos:  Alberi Pontes

O governador Ricardo Coutinho prestigiou a primeira exibição do documentário ‘Pedro Osmar – Prá Liberdade que se Conquista’ em terras paraibanas, na noite da quinta-feira (17) no Cine Banguê do Espaço Cultural, em João Pessoa. O filme dirigido por Rodrigo T. Marques e Eduardo Consonni reconta a trajetória de uma das principais figuras da cultura de resistência do estado, criador do movimento Jaguaribe Carne. Também estiveram presentes o secretário de Cultura da Paraíba (Secult-PB), Lau Siqueira, e a presidenta da Fundação Espaço Cultural (Funesc), Nézia Gomes.

“Acho que mais do que um trabalho individual, Pedro representa muita coisa da resistência cultural, da formação de uma identidade da cultura popular aqui dentro. A Paraíba tem uma trajetória forte nesse quesito, mas a relação com o movimento de base, a relação da cultura com a política se fortaleceu com o Fala Jaguaribe, que depois se tornou Fala Bairros, uma articulação feita pelo Jaguaribe Carne. Pedro Osmar é um ser inquieto que merece o reconhecimento”, pontuou o governador.

Após a exibição do filme, Pedro Osmar conversou com a plateia e pontuou algo que notou ao relembrar sua própria história. “Sinto falta dos festivais de música. Eles são espaços de grande aprendizado. Precisam voltar a acontecer, nas escolas, nos bairros, nas comunidades. É um celeiro de grandes talentos artísticos”, explicou o artista.

O documentário retrata essa movimentação político-cultural realizada principalmente no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa, e também revela a complexidade do pensamento musical de Pedro Osmar, que se vale de qualquer tipo de objeto para extrair sons, em um processo constante de experimentação.

A ideia do registro em vídeo surgiu após o encontro dos dois cineastas, que formam a produtora Complô, e Pedro, que estava gravando em um estúdio em São Paulo seu novo disco de estúdio, Quem Vem Lá. “Começamos registrando as gravações do álbum e isso foi só crescendo. À medida em que conhecíamos a riqueza do trabalho de Pedro, mais queríamos registrar isso tudo”, comentou Rodrigo T. Marques.