João Pessoa
Feed de Notícias

Ricardo participa de sorteio de casas que vão beneficiar 2,4 mil pessoas

quarta-feira, 16 de outubro de 2013 - 09:03 - Fotos:  Francisco França/Secom-PB

O governador Ricardo Coutinho anunciou para o dia 31 de outubro a inauguração do Residencial Nossa Senhora da Penha II, em Mamanguape, construído pela Companhia Estadual de Habitação Popular (Cehap) dentro do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). Ele participou, na tarde desta terça-feira (15), no Ginásio do Instituto Moderno, do sorteio das 597 casas já concluídas e que ainda este mês receberão seus novos moradores.

O Governo do Estado e o Governo Federal investiram R$ 27,9 milhões na construção do residencial, que possui infraestrutura de calçamento, calçadas para passeio público, saneamento, água e energia elétrica, além de estar próximo de um hospital e de uma escola técnica estadual. Uma adutora de 906 metros também foi construída para o abastecimento de água no residencial.

O governador Ricardo Coutinho informou que com a entrega do residencial Nossa Senhora da Penha II o Estado ultrapassa as 6 mil casas entregues em apenas 2 anos e 10 meses e que outras 10 mil estão em construção. “Este é um dia importante em que mais de 2400 pessoas estão ganhando um endereço e uma casa própria para viverem com suas famílias. Quero ter a felicidade no dia 31 de outubro de vir aqui entregar o conjunto para que cada pai, cada mãe possa entrar com sua família para construir uma nova história”, declarou.

De acordo com Ricardo, esse residencial junto com as casas entregues no Distrito de Pitanga são fundamentais para a redução do déficit habitacional de Mamanguape e para oferecer a essas famílias um teto seguro, de qualidade, e num espaço com ruas calçadas, água, energia, com uma escola técnica estadual e um hospital regional com 128 leitos. “Estamos trabalhando muito para a região de Mamanguape que está ganhando casas, escola técnica, hospital e uma adutora que garantirá o abastecimento de água pelos próximos 40 anos”, destacou.

A expectativa e a emoção marcaram o momento do sorteio das 597 unidades habitacionais do conjunto, que será a nova morada para 2400 pessoas. O governador Ricardo Coutinho sorteou a 1ª casa para Geovânia de Andrade Muniz, que não escondeu a satisfação de receber a sua casa própria e adaptada para suas necessidades físicas. Ela mora na casa dos pais com o seu filho e, a partir de novembro, vai passar a morar com o filho no novo endereço.

“É uma emoção muito grande, além de ter sido contemplada com a casa própria ter sido a primeira sorteada. Isso demonstra como esse imóvel vem com as bênçãos de Deus. Quero agradecer ao Governo do Estado e à Caixa por entregar um conjunto com toda infraestrutura e casas que demonstram respeito aos cidadãos, principalmente as pessoas que como eu tem uma deficiência física”, afirmou Geovânia.

A técnica de enfermagem Fátima Gomes mora com a sua mãe e outros irmãos e disse que durante muito tempo pagou aluguel por um imóvel que nunca seria seu. “Desde que recebi o telefonema da Cehap informando que hoje seriam sorteados os imóveis que choro, não de tristeza, mas de felicidade de ter minha casa própria. Casa nova, vida nova”, completou, agradecendo ao Governo do Estado pelo conjunto, o hospital e a escola técnica.

De acordo com a presidente da Cehap, Emília Correia Lima, das 597 casas do residencial, 50 são adaptadas para idosos e pessoas com deficiência e possuem 40 m². Ela informou que as demais unidades possuem 36,55 m² e todas têm sala, dois quartos, WC social, espaço de circulação, cozinha e área de serviço externa.

Emília informou que ainda nesta quarta-feira (16) serão iniciadas as vistorias pela construtora Litoral junto com cada morador e no dia 29 de outubro serão assinados todos os contratos. “O município de Mamanguape cresceu muito e é muito alto o número de pessoas que vivem de aluguel. Muitas vezes esses R$ 200 ou R$ 250 representam muito para uma família com uma renda de um salário mínimo que sem esse custo poderá investir mais em educação, alimentação e na sua qualidade de vida”, destacou.

O gerente regional da Caixa, Celizo Bezerra, afirmou que o residencial cumpre todas as exigências técnicas e de habitabilidade do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). Ele destacou que o valor médio de cada casa é de R$ 47 mil, sendo que  R$ 44 mil são subsidiados e o beneficiário paga apenas R$ 3 mil ao longo de 10 anos com uma prestação mínima de R$ 25 e máxima de R$ 100,00. “É um subsídio muito expressivo para essas famílias que foram selecionadas observando os critérios como baixa renda, em que a mãe é a chefe da família e as condições de moradia dessas pessoas”, enfatizou.