Fale Conosco

11 de fevereiro de 2016

Ricardo participa de reunião para discutir pesquisas relacionadas à zika e microcefalia



ricardo reuniao com ministerio da saude foto francisco franca 4 270x191 - Ricardo participa de reunião para discutir pesquisas relacionadas à zika e microcefaliaO governador Ricardo Coutinho participou, nesta quinta-feira (11), de uma reunião no Palácio da Redenção para discutir os avanços de pesquisas relacionadas à microcefalia, má formação do crânio que atinge bebês e que em alguns casos têm ligação com o vírus zika. A vice-governadora Lígia Feliciano, a secretária da Saúde, Roberta Abath, a coordenadora da Rede de Cardiologia Pediátrica da Paraíba, Sandra Mattos, o diretor do Centro de Controle de Doenças do Governo dos Estados Unidos no Brasil, Aristides Barbosa,e o coordenador geral do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Giovanini Coelho, participaram do encontro, além de outras autoridades.

Durante a reunião foram apresentados dados sobre uma pesquisa realizada pela Paraíba, que mostra que a microcefalia já aparecia no Estado desde 2012, portanto, sendo diagnosticada antes do aparecimento da zika. “Pretendemos aprofundar essas pesquisas, que já foram iniciadas, a fim de achar respostas para questões de interesse da sociedade. Os resultados da pesquisa colocam em evidência a relação entre o vírus zika e a microcefalia. É preciso um estudo maior para entender se todos os casos estão relacionados ou tem outras possíveis causas”, destacou Ricardo Coutinho.

ricardo reuniao com ministerio da saude foto francisco franca 1 270x191 - Ricardo participa de reunião para discutir pesquisas relacionadas à zika e microcefalia“O Estado está desenvolvendo um projeto com a Rede de Cardiologia Pediátrica, através do uso da telemedicina, para facilitar o diagnóstico da microcefalia. Os resultados mostraram que os casos podem não ter relação com a zika. Diante disso, a Paraíba vem se destacando e sendo procurada por países como a Austrália e Japão. Nosso Estado será contemplado com o aporte nas pesquisas futuras e buscaremos parcerias com pesquisadores dos Estados Unidos. Este é um passo importante não só para nós, mas para o mundo”, declarou a secretária de Saúde, Roberta Abath.

De acordo com a coordenadora da Rede de Cardiologia Pediátrica da Paraíba, Sandra Mattos, uma força-tarefa foi feita com bebês paraibanos, verificando, entre outros, o tamanho craniano das crianças e as que se enquadravam nas características da microcefalia. “As informações foram organizadas em um banco de dados, logo após compilamos os resultados e mandamos para a Organização Mundial de Saúde, que publicou nosso estudo e se ofereceu para nos ajudar na condução das pesquisas”, afirmou.

ricardo reuniao com ministerio da saude foto francisco franca 5 270x191 - Ricardo participa de reunião para discutir pesquisas relacionadas à zika e microcefaliaSandra Mattos ainda enfatizou que a reunião serviu para discutir o modelo de enfrentamento estadual da microcefalia, que utiliza a rede de telemedicina para ampliar o atendimento das crianças, além de pensar como será dado o seguimento nas pesquisas na região. “O projeto já está sendo apoiado pelo Ministério da Saúde e esperamos também a colaboração do Centro de Controle de Doenças do Governo dos Estados Unidos, que veio conhecer detalhes sobre o projeto e também outros parceiros”, adiantou.

Na reunião, o coordenador geral do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde, Giovanini Coelho, parabenizou o trabalho feito na Paraíba. “Esse esforço governamental é louvável e só temos a parabenizá-los por todo empenho em trazer respostas concretas em relação à microcefalia. A Paraíba foi escolhida para o nosso estudo de caso-controle, pelo fato de ter qualidade no sistema de vigilância em saúde no Estado, além de apresentar excelente performance nas medidas de combate ao aedes”, falou.

ricardo reuniao com ministerio da saude foto francisco franca 5 270x191 - Ricardo participa de reunião para discutir pesquisas relacionadas à zika e microcefaliaO Estado foi pioneiro com a utilização do aplicativo “Aedes na Mira” que hoje é usado em mais 7 estados, além disso se mantém entre os mais exitosos em relação às visitas domiciliares. De um total de 1.177.843 imóveis, já foram visitados até o momento, 901.015, o que equivale a mais de 76%. Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, até o momento foram notificados 753 casos suspeitos de microcefalia na Paraíba.