João Pessoa
Feed de Notícias

Ricardo inaugura usina e centro de lapidação em Nova Palmeira

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014 - 18:36 - Fotos:  Roberto Guedes / Secom-PB

O governador Ricardo Coutinho inaugurou, nesta terça-feira (25), o Centro de Lapidação de Pedras “Francisco Paulo de Oliveira” e a Usina de Beneficiamento de Pegmatitos totalmente equipados, no município de Nova Palmeira. O Governo do Estado investiu, por meio do Projeto Cooperar, R$ 285 mil para a construção do centro de lapidação, e R$ 465 mil do Empreender PB para a usina, totalizando R$ 750 mil em investimentos, beneficiando centenas de mineradores da Cooperativa de Garimpeiros de Nova Palmeira (Coogarimpo). Ainda na solenidade, o governador liberou R$ 128 mil em créditos do Empreender PB para 37 empreendedores.

O Governo do Estado investiu nestes três anos mais de R$ 5 milhões na organização da cadeia produtiva da mineração no Curimatau/Seridó. O governador Ricardo Coutinho disse que com a usina e a o centro de lapidação os mineradores poderão trabalhar com mais segurança e com os equipamentos necessários para agregar valor às pedras comercializadas na região que tem na mineração a sua principal atividade. “O que antes era feito de forma rudimentar e precária e com baixo valor agregado, agora pode ser beneficiado e lapidado com um valor até 10 vezes maior gerando renda e qualidade de vida para mineradores fortalecendo a cadeia produtiva da mineração”, ressaltou.

Ricardo lamentou que outras administrações passadas não tenham observado a mineração como deveria ser vista, adiantando que o governo buscou fortalecer o setor com estradas e o investimento de mais de R$ 5 milhões nas cooperativas para a compra de enchedeiras, caminhões, equipamentos de separação e de lapidação para que o próprio minerador possa preparar o produto para o mercado com mais valor agregado.

O gestor do projeto Cooperar, Roberto Vital, afirmou que a ação do Governo do Estado deu aos mineradores e sua família as condições necessárias para deixar para trás um trabalho insalubre e montar uma estrutura para produzir com qualidade. Ele explicou que outra possibilidade é que com a usina de beneficiamento será possível reaproveitar os resíduos de quartzitos que são utilizados para confecção de mosaicos decorativos e tijolos para construção civil.

O trabalho no centro de lapidação será realizado na maioria por mulheres de mineradoras que estão sendo capacitadas pelo Senai para confecção de joias. “Esse trabalho valoriza a política de gênero do Governo do Estado com a inclusão das mulheres no mercado de trabalho, que serão responsáveis pela lapidação das pedras tipo turmalina, quartzito e feldspato”, avaliou Roberto.

O prefeito de Nova Palmeira, José Felix, destacou que estava esperando muito tempo por esses investimentos na cooperativa de mineração que vão ajudar aos mineradores e também o crescimento do município. “Estou feliz com os benefícios não apenas para os mineradores, mas com obras como a adutora de Picuí que abastece ao município e a recuperação da estrada até Soledade”, comemorou.

O presidente da Cooperativa Coogarimpo, José Francinaldo, disse que a usina e o centro de lapidação vão elevar a produção da cooperativa em mais de 200% e elevar o preço da tonelada de material de R$ 25 a R$ 30 para R$ 200 a R$ 300. Ele disse que a cooperativa espera, dentro do Procase, receber também nos próximos meses uma casa de fundição para armação de joias e um laboratório. “Infelizmente muitos mineradores vendem as pedras para atravessadores por qualquer valor, quando poderiam beneficiar e agregar valor ao minério. Graças ao Governo do Estado, nós garimpeiros fomos lembrados com acesso a créditos e a orientação necessária para vivermos dignamente da mineração”,destacou.

O minerador João de Deus Oliveira Sobrinho, da Coogarimpo, disse que trabalhou mais de 30 anos na mineração sempre de maneira rudimentar e sem apoio governamental. “Há 100 anos que a mineração foi esquecida pelos governos federal, estadual e municipal. Agora a história é diferente a a nossa expectativa é que com a tecnologia, num futuro próximo, possamos ter uma renda melhor que garanta também mais qualidade de vida”, afirmou.

A lapidadora Maria Doralice Marinho, esposa de minerador, está trabalhando há pouco tempo na lapidação do minério e demonstra satisfação com o novo trabalho. “Nós vínhamos lutando há muito tempo por essa obra e com o esforço de Rutineia Dilenna hoje as mulheres dos próprios garimpeiros poderão trabalhar na lapidação aumentando a sua renda familiar”, comemorou.