Fale Conosco

19 de setembro de 2011

Ricardo e empresários iniciam relações comerciais com Cuba



O governador Ricardo Coutinho abriu nesta segunda-feira (19), em Havana, as atividades da missão comercial com representantes do setor público e 14 empresários paraibanos interessados em manter relações comerciais com Cuba. Essa é a primeira missão institucional que o Governo da Paraíba faz à ilha socialista com objetivo de abrir o mercado cubano para os produtos paraibanos.

Na primeira atividade da missão, o governador e a delegação da Paraíba visitam o Centro de Negócios da Agência de Exportações do Brasil (Apex). Depois, o grupo será recebido pelo embaixador do Brasil em Cuba, Alexandre Penã Ghisleni, por representantes do Governo de Haiti e pela comissão de Reconstrução do Haiti, ambos no centro de negócios da Apex. Em seguida, a comitiva paraibana se reúne com o presidente do Congresso Nacional de Cuba, Ricardo Alarcon de Quesada. O grupo também vista o Centro Comercial para conhecer o funcionamento e os produtos comercializados em Havana.

No período da tarde, Ricardo Coutinho e empresários serão recebidos pelo ministro do Comércio Exterior e Investimentos Estrangeiros de Cuba, Rodrigo Malmierca Diáz. O encontro começa às 14h, na sede do Ministério, onde o ministro irá apresentar dados sobre o mercado cubano, a legislação vigente e as oportunidades de negócios. A programação do dia será encerrada com reunião na Câmara de Comércio de Cuba.

Agenda da Semana- Durante a semana, a delegação paraibana participa de visitas técnicas às obras do Porto de Mariel, à fábrica BrásCuba, à Escola Latinoamericana de Ciências Médicas, à Universidade de Havana, ao Ministério da Educação e da Agricultura.

Ricardo Coutinho disse que mantém uma expectativa positiva da visita pelo fato de a Paraíba estar se mostrando para o mundo com olhar no desenvolvimento. Ele acrescentou que o Estado participará de outras missões a países como Angola e Venezuela. “É preciso construir uma nova lógica, e isso passa pela ampliação da produção e pela internacionalização da nossa economia”, comentou o governador.

Atualmente, a Paraíba exporta apenas US$ 87 milhões e importa US$ 600 milhões por ano, e é necessário equilibrar a balança comercial paraibana com aumento das exportações do que produz. “Queremos construir relações que possibilitem que as nossas empresas vendam para outros países, e Cuba passa por um processo importante de quebra do isolamento que lhe foi imposto. Nesse contexto, Cuba precisa comprar laticínios, vestuários, calçados e tecnologia, que são produzidos no nosso estado”, constatou Ricardo.