João Pessoa
Feed de Notícias

Convênio prevê utilização de energia solar em conjuntos habitacionais

segunda-feira, 8 de julho de 2013 - 20:15 - Fotos:  José Marques/Secom-PB

O governador Ricardo Coutinho, o reitor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Edilson Amorim, e o diretor presidente da  Energisa, Marcelo Rocha,  assinaram, na tarde desta segunda-feira (8), em Campina Grande, o Termo de Cooperação Técnica para a realização de estudos sobre a utilização de energia solar fotovoltaica nas casas populares a serem construídas pela Companhia Estadual de Habitação Popular (Cehap).

A Cehap doou dois kits fotovoltaicos para pesquisadores do Departamento de Energia Elétrica da UFCG avaliarem a aplicabilidade da energia solar fotovoltaica nas casas populares integradas à rede de distribuição da Energisa Paraíba. A Energisa também está doando um medidor de energia elétrica bidirecional para a simulação da medição do uso da tecnologia.

O governador Ricardo Coutinho espera que, com a utilização desse sistema, a conta de luz caia pela metade, já que a energia armazenada que não for utilizada será enviada para a rede da Energisa. “A nossa meta é que possamos no futuro instalar a energia solar em todos os programas habitacionais da Paraíba. Estamos dando o primeiro passo para isso em parceria com a UFCG, que irá montar o sistema e contabilizar a energia que sairá da casa para a rede e depois da rede para a casa. É algo que interessa muito para os beneficiários dos programas habitacionais, para a universidade e a Energisa”, ressaltou.

Segundo ele, a energia elétrica advinda das hidroelétricas é muito cara e com a abundância de sol na região não há porque deixar de investir em fontes de energia solar nos programas habitacionais para reduzir os gastos de energia dentro do orçamento familiar.

“Essa é uma tecnologia bastante usada em países desenvolvidos, exemplo da Alemanha, onde 70% das residências possuem energia solar e eólica, mesmo com uma incidência solar menor que a verificada no Nordeste brasileiro. Queremos desenvolver essa tecnologia de placas fotovoltaicas aproveitando a expertise do Departamento de Engenharia Elétrica da  UFCG para não apenas reduzir os gastos com energia, mas para produzirmos uma energia mais limpa e com baixo impacto ambiental”, explicou o governador.

De acordo com a presidente da Cehap, Emília Correa Lima, após o estudo da UFCG, o próximo passo será a implantação do sistema  em um bloco de apartamentos no bairro Três Irmãs, em Campina Grande. “Repassamos dois kits de energia fotovoltaicas para que a UFCG faça os estudos necessários para demonstrar a viabilidade  da utilização da energia produzida pelas placas fotovoltaicas. O sistema funcionaria da seguinte forma; durante o dia o consumidor utilizará a energia fotovoltaica e o excedente armazenado irá para a rede da Energisa e será revertido em bônus em forma de energia elétrica para utilização à noite”, informou.

O professor do Departamento de Energia Elétrica da UFCG, Marcelo Corrêa, explicou que a universidade irá avaliar a capacidade de produção dos painéis fotovoltaicos aplicados a unidades habitacionais durante um ano, período que abrange as quatro estações. “A viabilidade da produção fotovoltaica para abastecer uma residência familiar já é comprovada, agora vamos estudar a aplicação numa escala maior e a nossa expectativa é que venha a baratear os custos com energia”, revelou.

Para o diretor-presidente da Energisa, Marcelo Rocha, essa é uma oportunidade excelente de juntar governo, academia e a concessionária de energia em torno de um projeto que, sem dúvida, irá trazer benefícios diretos para a população de baixa renda. “O cidadão poderá estar utilizando a energia solar durante o dia e o acumulado no medidor ser revertido em energia durante a noite. É algo inovador que vai gerar uma economia considerável na conta no final do mês”, completou.