João Pessoa
Feed de Notícias

Ricardo apresenta para a ministra do Orçamento pleitos prioritários da PB

quarta-feira, 6 de abril de 2011 - 09:43 - Fotos: 

O governador Ricardo Coutinho foi recebido na noite desta terça-feira (5) pela ministra do Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, e apresentou os pleitos prioritários do Estado que precisam da liberação de recursos federais para serem implantados.  Ao longo de duas horas, o governador solicitou a liberação das emendas de bancada previstas no orçamento 2011 no valor de R$ 20 milhões para a conclusão das obras do Centro de Convenções, para a construção do Hospital Metropolitano em Santa Rita (R$ 20 milhões) e da Alça Noroeste de Campina Grande (R$ 20 milhões).

O governador Ricardo Coutinho tentou sensibilizar a ministra Mirian Belchior sobre o impacto social de obras como o Centro de Convenções na ativação de toda a cadeia do turismo. Durante a audiência, a equipe de governo também pediu a liberação dos recursos na ordem de R$ 217 milhões para a execução de 51 projetos de abastecimento de água e esgotamento sanitário dos municípios que vão receber as águas da Transposição do Rio São Francisco.

O secretário de Planejamento e Gestão do Estado, Gustavo Nogueira, destacou a necessidade de incluir esse projeto no PAC 2 para preparar os mais de 100 municípios do Estado para receberem as águas do Rio São Francisco e que, para isso, o esgoto não pode ser depositado no rio ocasionando a sua contaminação e um grave problema ambiental.

O presidente da Companhia Docas, Wilbur Jácome, também apresentou os projetos de ampliação e modernização inscritos no PAC 2 dos Portos. Ele destacou que o projeto de reforço do Cais e o terminal Múltiplos Uso serão importantes para aumentar a movimentação do porto e desafogar o Porto de Suape que funciona  18% além da sua capacidade.

A ministra Miriam Belchior recebeu todos os pleitos e repassou para análise da equipe técnica antes de emitir um posicionamento. Ela considerou todos os pleitos justos, mas ponderou que diante dos cortes implementados pelo governo não será possível viabilizar todos este ano.